Cotidiano / Economia

Estudo mostra queda em exportações de produtos industriais do Estado

Projeção é de aumento para 2017

Midiamax Publicado em 21/12/2016, às 15h29

None
coletiva_fiems_7_okay.png

Projeção é de aumento para 2017

Exportações de produtos industriais em 2016 apresentaram queda de acordo com estudo apresentado nesta quarta-feira (21) pela Fiems (Federação das Industrias do Mato Grosso do Sul).

De acordo com levantamento, em 2016 a estimativa aponta UU$ 2,65 bilhões  em exportações, o que representa queda de 8% se comparado a 2015, quando as comercializações internacionais alcançaram UU$ 2,88 bilhões.

Apesar de maior que as exportações de produtos industriais estimadas em 2016, no anterior, em 2015, também houve redução se comparado a 2014 quando o número chegou a UU$ 3,68 bilhões. 

Para 2017, a projeção é de variação de 6% comparado a este ano, o que significa que as exportações de produtos industriais devem representar UU$ 2,81 bilhões. 

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck ,afirma que que as expectativas estão nas exportações de grãos, celulose e aves. 

"Tivemos queda de exportações global de alguns produtos específicos como mineração e carnes. Temos como perspectiva as exportações de soja, que é nosso principal produto,  celulose e avicultura, que é um grande potencial, mas temos de aumentar a industrialização", observa. 

Principais seguimentos industriais do Estado –

O setor de carnes ocupa o topo da lista dos principais segmentos industriais de Mato Grosso do Sul. Ao todo são 129 empresas no Estado que geram 24.675 empregos e atinge produção de R$ 15,64 bilhões. 

Em segundo lugar aparece a indústria sucroenergética. São 22 empresas, 20.737 empregos e produção de R$ 4,38 bilhões. O setor metalúrgico é o terceiro da lista com 1.039 empresas, 8.082 empregos e R$ 4,31 bilhões.  

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, afirma que empresas que devem iniciar as atividades em 2017 vão contribuir para um cenário positivo nas exportações de 2017. 

“Temos algumas empresas que que iniciam operações em 2017, principalmente no setor de alimentos e que devem contribuir para avanço das exportações no ano que vem”, finaliza. 

Na projeção de 2017, 11 empresas aparecem como os principais investimentos industriais do Estado, entre elas três internacionais: ADM que realiza processamento de soja em Campo Grande; BBCA Group, no ramo de processamento de milho em Maracaju e Cargill, no segmento de biodiesel em Três Lagoas. 

As industrias nacionais são: Eldorado e Fibria, que trabalham com celulose em Três Lagoas; CCRMS Via, que atua no setor da construção ao longo da BR-163; ADM, no ramo de processamento de soja em Maracaju;  Coamo, responsável por produção de óleo de soja em Dourados, Sidrolândia e Itaporã; Asperbras no seguimento de MDF em Água Clara e Latasa, empresa de reciclagem em Paranaíba.   

Conforme o levantamento, essas empresas contabilizam R$ 27,446 bilhões de investimentos projetados para 2017 no Estado. Já o faturamento das indústrias sul-mato-grossenses estimado é de R$ 46,7 bilhões em 2017, crescimento de 8,5% em relação à 2016, que deve fechar o ano, próximo dos R$ 43 bilhões. 

Jornal Midiamax