Cotidiano / Economia

Agosto começa com superávit de R$ 637 milhões

Dados foram divulgados nesta segunda pela Secex

Midiamax Publicado em 08/08/2016, às 21h20

None
exportacoess.jpg

Dados foram divulgados nesta segunda pela Secex

A balança comercial brasileira começa a primeira semana de agosto com superávit de US$ 637 milhões, resultado de exportações de US$ 3,435 bilhões e importações de US$ 2,798 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (08) pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior) do MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços).

As exportações tiveram bons resultados em produtos semimanufaturados (+27,8%) – puxadas por ouro em forma semimanufaturada, açúcar em bruto, catodos de cobre, celulose, semimanufaturados de ferro e aço e couros e peles – e manufaturados (+7,7%) – devido a veículos de carga, açúcar refinado, óxidos e hidróxidos de alumínio, tubos flexíveis de ferro e aço, bombas, compressores e partes, máquinas e aparelhos para terraplanagem.

Na contramão, o resultado ficou 6,8% abaixo do verificado no ano passado. Nesta comparação, houve retração nas vendas externas de básicos (-27,4%) – principalmente por conta de petróleo em bruto, milho em grão, farelo de soja, soja em grão, café em grão, carne bovina e de frango.

Em relação a julho de 2016, quando a média diária das exportações foi de US$ 777,6 milhões, a retração foi de 11,7%, causada pela diminuição dos embarques de produtos básicos (-24,4%)  e manufaturados (-7,8%).

Importações

O desempenho médio diário das importações na primeira semana de agosto de 2016 foi de US$ 559,6 milhões, valor 8,1% abaixo da média registrada em de agosto do ano passado (US$ 609,3 milhões). Nesse comparativo, decresceram os gastos, principalmente, com veículos e partes (-35%), produtos farmacêuticos (-19,7%), equipamentos mecânicos (-17,2%), instrumentos de ótica e precisão (-10,8%) e produtos plásticos (-6,9%).

Na comparação com junho deste ano, as importações mantiveram-se constantes. Destaca-se aumento nas compras de adubos e fertilizantes (+58%) e equipamentos eletroeletrônicos (+10,2%).

Jornal Midiamax