Cotidiano / Economia

Preço do boi deve sofrer leve queda no primeiro trimestre

Apesar disso, clima incerto ainda pode alterar as expectativas de elevação na oferta do período

Clayton Neves Publicado em 30/01/2015, às 15h04

None
1416867418034.jpg

Apesar disso, clima incerto ainda pode alterar as expectativas de elevação na oferta do período

Segundo o boletim trimestral do Rabobank, apesar da tendência ainda bastante positiva para o mercado de bovinos, os preços devem sofrer leve queda durante o primeiro trimestre, como resultado do aumento sazonal da oferta de gado alimentado a pasto.

Apesar disso, levando em consideração as expectativas de um novo recorde nas exportações de carne bovina em 2015, o espaço para baixas se mostra bastante limitado.

O clima incerto ainda pode alterar as expectativas de elevação na oferta do primeiro trimestre. Caso as chuvas não se intensifiquem nas principais regiões produtoras durante o verão, a elevação na oferta de animais terminados a pasto pode se mostrar menos intensa que o previsto inicialmente.

O ano de 2014 foi marcado pela baixa oferta de gado e também pela forte demanda internacional pela carne bovina brasileira. Com isso, o valor da arroba do boi gordo começou 2015 acima dos R$140. Com as expectativas de baixa oferta nos Estados Unidos e na Austrália, principais competidores do Brasil no mercado internacional, as projeções iniciais apontam para preços de carne bovina ainda firmes neste ano.

O Rabobank projeta um crescimento de cerca de 7% para as exportações brasileiras em 2015, após o aumento de 3% em 2014. A recente reabertura do mercado chinês também colaborará com o aumento dos embarques. Apesar disso, a alta exposição das exportações brasileiras ao mercado russo pode representar um risco, já que o país passa por uma grave crise econômica.

No mercado doméstico, o escopo para aumento dos preços ao consumidor parece limitado. O já elevado patamar das cotações da carne bovina em relação às proteínas concorrentes, como o frango e a carne suína, aliado à expectativa de menor crescimento da economia, deve limitar o aumento do consumo no mercado doméstico esse ano. 

Em relação aos preços de reposição, o relatório aponta que, apesar da forte valorização da arroba, a relação de troca boi gordo/bezerro permanece abaixo da média dos últimos anos. Em 2015, o número de cabeças confinadas deve continuar a crescer, apoiado, principalmente, pela queda nos preços dos grãos e firmes cotações no mercado futuro de boi. Consequentemente, a procura por animais de reposição deve permanecer aquecida, segundo a Rabobank.

Jornal Midiamax