Cotidiano / Economia

Paralisação faz preço de verduras e legumes subir em Campo Grande

Protesto dos caminhonheiros começar a gerar prejuízos

Midiamax Publicado em 25/02/2015, às 21h57

None
img-20150225-wa0189.jpg

Protesto dos caminhonheiros começar a gerar prejuízos

Em virtude da paralisação nacional dos caminhoneiros o preço de verduras e legumes teve aumento e começa a preocupar o consumidores e comerciantes de Campo Grande. O quilo do tomate por exemplo, antes vendido a R$ 2,46, hoje já custa R$ 3,60, uma alta de aproximadamente 30%.

Além da fruta, Cristiano Chaves, coordenador da Divisão de Mercado da Ceasa-MS (Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul), comenta que a saca com 50 quilos de batatas também teve reajuste significativo, indo de R$ 90 para R$ 140.

Além dos produtores estarem mais caros, a qualidade do mesmo também começa a cair. Isto porque as cargas de frutas e legumes passam muito tempo na estrada e não chegam a tempo de serem aproveitadas.

“Soube que os manifestantes liberavam os caminhões com cargas vivas e perecíveis depois de 30 minutos e isso fazia com que as cargas chegassem aqui com atraso. Mas agora parece que estão parando todos os caminhoneiros, pois hoje tivemos quatro caminhões parados em Santa Catarina e Paraná”, explica Cristiano.

Apesar do prejuízo inicial, a Ceasa terá um levantamento mais exato dos prejuízos somente a partir desta quinta-feira, quando a movimentação na Central aumenta. 85% dos produtores comercializados na Ceasa vêm de outros Estados.

 Elaine Cristina Menezes, gerente do mercado de frutas e vegetais Ki-Fruta, ressalta que o gengibre, aspargo e o alface americano tiveram alta em virtude da falta de chuva em São Paulo. No entanto, os produtos novamente terão os preços reajustados por causa da paralisação dos caminhoneiros.

“A qualidade do produto também sofre com esta paralisação. Hoje fui para comprar cenoura, mas de dez caixas que vi comprei apenas 4”, disse.

 A paralisação dos caminhoneiros visa chamar a atenção da União para baixar o preço do Diesel e segue para o quinto dia. Em Campo Grande quatro trechos estão interditados. São eles: BR-163, saída para São Paulo; saída de Aquidauana; MS-040, na saída das Três Barras; e a BR-262, saída de Três Lagoas. Já as demais rodovias interditadas são em Sidrolândia, Maracaju, Três Lagoas, Naviraí e Sonora.

Jornal Midiamax