Cotidiano / Economia

Oferta mantém preço da arroba firme no acumulado do mês

Indicador Esalq/BM&FBovespa fechou a R$ 143,23 na quinta-feira

Clayton Neves Publicado em 20/02/2015, às 18h48

None
1416240109931.jpg

Indicador Esalq/BM&FBovespa fechou a R$ 143,23 na quinta-feira

Os preços da arroba seguem praticamente estáveis em fevereiro, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada.

Na quinta, dia 19, o Indicador Esalq/BM&FBovespa (Estado de São Paulo) fechou a R$ 143,23, praticamente inalterado em relação à sexta anterior e leve recuo de 0,14% no acumulado do mês.

Segundo o Cepea, frigoríficos seguem pedindo valores menores pela arroba, mas a oferta restrita de animais para abate tem sustentado os preços. Em relação às carnes, os preços começaram a perder força nos últimos dias no atacado da Grande SP.

Reposição

As categorias de machos anelorados subiram, em média, 0,3% nesta semana. Considerando a valorização de todas as categorias de machos e fêmeas, a alta foi de 0,5%.

A atual relação de arrobas necessárias para a aquisição de um bezerro desmamado em São Paulo é a maior desde junho de 2010. Atualmente, são necessárias 8,5 arrobas de boi gordo para a compra de um bezerro.

Mato Grosso do Sul se destaca pelas relações de troca menos favoráveis para todas as categorias, dentre todos os estados pesquisados. Há grande dificuldade de aquisição de bovinos para reposição em volume e qualidade.

No Estado, nos últimos doze meses, o bezerro, o garrote e o boi magro subiram, em média, 48,9%, 45,9% e 40,6%, respectivamente. O boi gordo, neste mesmo período, teve alta de 24,1%.

Jornal Midiamax