Cotidiano / Economia

Mercado do boi gordo segue retraído à espera de melhor relação de troca

Produtores alegam dificuldade de venda da carne no atacado

Clayton Neves Publicado em 12/03/2015, às 16h36

None
1416224160964.jpg

Produtores alegam dificuldade de venda da carne no atacado

O ritmo de negócios segue lento no mercado pecuário, além da retração de frigoríficos, que continuam alegando dificuldade de venda da carne no atacado, pecuaristas seguem postergando as vendas de lotes prontos, à espera de melhor relação de troca para fazerem a reposição, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Em São Paulo, por exemplo, a venda de um boi de 17 arrobas possibilita a compra de 1,94 bezerro no estado ou de 1,86 bezerro em Mato Grosso do Sul – valor médio de março, até o dia 11. No mesmo período do ano passado, essas relações eram de 2,28 bezerros adquiridos tanto em SP como em MS.

Nos primeiros 11 dias de março, o Indicador Esalq/BM&FBovespa do boi gordo acumulou pequena alta de 0,15%, fechando em R$ 144,59. O bezerro, por sua vez, se valorizou 3,8% no mesmo período, a R$ 1.348,01 (Indicador MS). A média do bezerro em SP aumentou 4,6% nesses dez dias, a R$ 1.303,42.

Jornal Midiamax