Cotidiano / Economia

Encontro técnico vai discutir estruturação de atividade leiteira de MS

Serão abordados vários temas para melhorar o setor leiteiro

Isaias Domingues Publicado em 21/05/2015, às 18h13

None
unnamed.jpg

Serão abordados vários temas para melhorar o setor leiteiro

A estruturação adequada do rebanho leiteiro e o monitoramento dos indicadores zootécnicos são ferramentas fundamentais para o diagnóstico das propriedades rurais. O tema será abordado pelo engenheiro agrônomo, diretor e técnico da Cooperideal (Cooperativa para a Inovação e Desenvolvimento da Atividade Leiteira), Marcelo de Rezende, durante o 18º Encontro Técnico do Leite, que será realizado na primeira semana de junho (2).

Segundo o especialista, estrutura do rebanho se refere à participação percentual de cada categoria animal em relação ao rebanho total, ou seja, a quantidade de animais da atividade leiteira dentro da propriedade. “Este fator tem impacto direto sobre os resultados econômicos da atividade”, ressalta Rezende.  Em relação aos indicadores zootécnicos, Rezende abordará na palestra índices que influenciam o sucesso na atividade e que se constituem como ferramentas fundamentais para a gestão e lucratividade das propriedades rurais e consequente ataque a pontos críticos do sistema de produção. 

Durante o evento, os gargalos na produção leiteira, em Mato Grosso do Sul, e também no Brasil, que vão do pasto ao preço, serão abordados e debatidos entre os participantes. Para o especialista, é preciso melhorar a gestão da atividade. “Sem isso é impossível a identificação de pontos a serem atacados de maneira prioritária. O produtor precisa criar o hábito das anotações de eventos econômicos e zootécnicos do negócio leite, para que as ações tenham foco e os resultados sejam de sucesso”, ressalta.

De acordo com as informações da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mato Grosso do Sul), é o 13º maior produtor de leite do País e conta atualmente com 24 mil produtores rurais no segmento lácteo. Por ano, produz em média 500 milhões de litros. Para que a atividade seja viável economicamente, a produção mínima em cada propriedade deve atingir 300 litros ao dia, com qualidade. “O produtor de leite vive hoje a era da informação e deve buscar conhecimento técnico e gerencial suficiente para a sustentabilidade econômica e zootécnica de seu negócio e este encontro é uma grande oportunidade para que isso ocorra”, acrescenta o diretor da Cooperideal.

Sobre o evento

Em sua 18ª edição, o Encontro Técnico do Leite se consolida como o principal evento deste segmento em Mato Grosso do Sul. Com palestras que abordam temas que vão desde o bem-estar animal à produtividade, o evento promovido pela Famasul e pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Sepaf (Secretaria de Produção e Agricultura Familiar), com patrocínio do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa), será realizado no dia 02 de junho, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, a partir das 08h. Para mais informações, acesse: http://zip.net/bsrhNY

Jornal Midiamax