Cotidiano / Economia

Em meio à crise, Dia das Crianças desanima comerciantes

Consumidores pretendem gastar menos esse ano

Midiamax Publicado em 08/10/2015, às 19h53

None
12162103_916798611728415_1941218491_o.jpg

Consumidores pretendem gastar menos esse ano

Uma das datas mais esperadas pelo comércio é o Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro. Nessa época, os pais costumam ir às compras e gastar com brinquedo para a criançada. Em 2015, porém, os comerciantes estão sentindo uma diminuição nas vendas neste ano, atribuída à crise econômica.

Os comerciantes que trabalham com brinquedos no camelódromo de Campo Grande estão encarando uma menor procura. Para Rose Lopes, 41 anos, as vendas estão devagar. “Não tivemos tanta procura como no ano passado. Parece que os pais não estão querendo gastar muito esse ano. Eles gastam em média 100 reais, mas sempre buscando pelo mais barato”, afirmou. Rose comentou que deve abrir no domingo até meio-dia e na segunda também. “Vamos ver se vendemos mais na véspera e no feriado”.

O brinquedo que mais está saindo na loja dela é a boneca Elsa, do desenho animado Frozen, vendida por R$ 35,00. “Para os meninos, o que mais vendemos são os super-heróis. Temos uma cartela com 5 deles que sair por R$ 40,00”, disse ela.

Para Ilda Pereira de Oliveira, de 47 anos, os pais estão procurando “brinquedos mais em conta. Querem pagar pouco. Eles estão gastando em média 50 reais”. Ilda comentou que o brinquedo que mais vende é boneca. “Elas sempre saem bastante, assim como os carrinhos de controle remoto. A criançada gosta”, destacou ela.

Tentando reverter a queda nas vendas, Ilda disse que faz descontos para quem vai às compras. “Nós sempre tentamos dar um desconto para trazer e atrair a freguesia. Cerca de 5 ou 10 reais”, informou ela.

Sérgio Campos, que estava com a afilhada e também trabalha no camelódromo, disse que o pessoal não tem procurando tanto o camelódromo nesse Dia das Crianças. “Mesmo para os eletrônicos, as vendas estão em baixa. O que mais está saindo é patins, skate e patinete”, explicou. Ele acredita que o movimento deve aumentar no fim de semana. “O pessoal costuma vir de última hora, já quase no dia. Mas, também esse ano está complicado mesmo com a alta do dólar”.

Quando perguntado a menina de 2 anos, qual brinquedo preferia, ela, prontamente, apontou os palhaços em miniatura Patati e Patata.

A fisioterapeuta Izabel Cristina, de 30 anos, estava à procura de brinquedos para a filha, e dois filhos de amigas. Ela pretende gastar R$ 120,00 nos três brinquedos. “Esse ano o preço está mediano, não muito diferente do ano passado. Nós é que não pretendemos gastar muito”, ressaltou.

Mesma opinião tem a funcionária pública aposentada Marilene Gonçalves, 63 anos. Ela estava comprando presentes para quatro netos. “Eu observei bastante quando cheguei os preços. Agora estou escolhendo os brinquedos. Espero gastar uns 250 reais com todos”, afirmou ela.

A dona de casa Regina da Silva estava com a filha fazendo as compras. A garota de 8 anos queria uma boneca. “A gente têm que comprar de qualquer maneira, mas sempre dando um jeitinho dela escolher o mais barato”, destacou ela.

Para o encarregado da loja, Alyffer Gomes, de 20 anos, da loja Giga Presentes, o movimento não está em queda. “Nós temos vendido bem. Tem bastante gente procurando brinquedos. Os mais baratos são os que mais saem”, disse. Ele afirmou que as pessoas estão gastando em média R$ 250 nas compras para a criançada.

Jornal Midiamax