Cotidiano / Economia

Cooperativa agrícola vai investir meio bilhão em Mato Grosso do Sul

 A previsão é que sejam esmagadas cerca de 3 mil toneladas de grãos por horo em MS

Kemila Pellin Publicado em 10/07/2015, às 20h17

None
coamo-pr-294-672x372_1.jpg

 A previsão é que sejam esmagadas cerca de 3 mil toneladas de grãos por horo em MS

A cooperativa agrícola do estado do Paraná, Coamo, vai instalar um complexo industrial no Estado de Mato Grosso do Sul, com investimentos avaliados em meio bilhão (R$ 500 milhões). A previsão é de que o complexo seja construído entre as cidades de Caarapó e Dourados.

O complexo deve abrigar um entreposto para recebimento de mercadoria, uma planta para esmagamento e outra para refinamento de óleo de soja para uso doméstico. A previsão é que sejam esmagadas cerca de 3 mil toneladas de grãos por hora em Mato Grosso do Sul, mesma capacidade da planta de Campo Mourão, que é atualmente a maior esmagadora de soja da cooperativa.

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja, destaca a vinda do complexo industrial para o estado, como o resultado pelo empenho e as iniciativas do governo para superar a crise. “Há 90 dias estamos conversando com a diretoria da Coamo, mostrando as potencialidades do setor agrícola. Ficamos contentes com a definição por MS. Mais um importante investimento, dessa vez de R$ 500 milhões que vai gerar emprego, renda e agregar valor ao que é produzido aqui”, afirma o governador.

De acordo com o presidente e fundador da Coamo, José Aroldo Gallassini, a cooperativa recebe um grande volume de soja de Mato Grosso do Sul. “Além da proximidade da soja a região tem boa localização para escoamento. Nossos cooperados sul-mato-grossenses tem porte médio superior aos do Paraná, com propriedades de 600 a 1,5 mil hectares”, frisa Gallassini.

A cooperativa possui 115 unidades em 68 municípios nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Em 2014, com recebimento de sete milhões de toneladas de produtos agrícolas, a Coamo respondeu por 3,6% da produção brasileira de grãos e fibras.

Jornal Midiamax