Cotidiano / Economia

Cesta básica fica mais cara em maio na Capital

O tomate continua sendo o grande vilão

Kemila Pellin Publicado em 09/06/2015, às 22h03

(Foto: Arquivo)
(Foto: Arquivo) - (Foto: Arquivo)

O tomate continua sendo o grande vilão

A cesta básica também ficou mais cara em Campo Grande durante o mês de maio, conforme a pesquisa divulgada pelo Departamento Interestadual de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) que revelou alta de 4,62% em relação ao mês anterior. Na prática, a cesta teve um acréscimo de R$16,02 em relação a abril, quando custava R$ 347,48.

Uma pesquisa divulgada pelo Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) na semana passada já revelava que o setor alimentício estava impulsionando a inflação, que em maio, fechou com alta de 0,61%. As estatísticas desta terça-feira (9), apresentadas pela Dieese mostram que o tomate ainda continua sendo o vilão da cesta básica, com alta de 16,34%.  A banana fechou com acréscimo de 6,48% e açúcar com 4,43%. A carne teve aumento de 4,1%.

Já os tradicionais arroz e feijão, e o cafézinho, ficaram mais baratos e ajudaram os preços a não subirem ainda mais.

Entre as 18 Capitais pesquisadas pela Dieese 17 apresentaram alta nos preços. Campo Grande ficou em 8º lugar como a cesta básica mais cara, entre as pesquisadas, no valor de R$363,54. Conforme o levantamento, a cesta básica custou para o trabalhador 101 horas e 30 minutos de trabalho,

Jornal Midiamax