Cotidiano / Economia

Produtor de MS tem R$ 3,49 bi para a safra 2013/2014

Os produtores rurais sul-mato-grossenses têm R$ 3,49 bilhões para o financiamento do custeio e investimento em tecnologia da safra 2013/2014. Disponível no Banco Do Brasil, os recursos foram lançados nessa semana pelo Governo Federal, sendo apresentado ontem em Dourados pelo superintendente regional do Banco do Brasil, Renato Estrada, que reuniu a classe produtora, pesquisadores...

Arquivo Publicado em 04/07/2013, às 14h19

None
1012362820.jpg

Os produtores rurais sul-mato-grossenses têm R$ 3,49 bilhões para o financiamento do custeio e investimento em tecnologia da safra 2013/2014. Disponível no Banco Do Brasil, os recursos foram lançados nessa semana pelo Governo Federal, sendo apresentado ontem em Dourados pelo superintendente regional do Banco do Brasil, Renato Estrada, que reuniu a classe produtora, pesquisadores e empresários da região sul do Estado.


Este ano os recursos são 31% superiores aos R$ 2,6 bilhões projetados inicialmente para a safra passada e 8,4% maiores que os efetivamente investidos no período, que fechou com R$ 3,2 bilhões em financiamentos. Ao apresentar a safra 2013/2014 aos produtores, Renato Estrada apresentou algumas estatísticas da safra passada e falou sobre as perspectivas de financiamento para esta safra. Devido ao aumento da área plantada em Mato Grosso do Sul, o superintendente acredita que sejam financiados nesta safra algo em torno de R$ 4 bilhões.


A região Sul é a maior produtora em Mato Grosso do Sul. Dos R$ 3,2 bilhões financiados na safra passada, 68% desse valor saiu da gerencia regional de Dourados, responsável por 40 agências bancárias do Banco do Brasil no Cone Sul do Estado.


Ainda de acordo com o superintendente, do total de financiamento da safra passada, R$ 273,3 milhões foram realizadas de forma planejada, ou seja, o produtor fez a aquisição antecipada de insumos para safra 2012/2013, pagando melhores preços. “A tendência é que mais produtores façam esse planejamento”, disse ele.


A novidade desta safra são os recursos para a construção de armazenamento de grãos, com taxa de 3,5% ao ano. A linha de financiamento apresentada pelo Banco do Brasil como Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) visa arcar com 100% do valor do projeto que for apresentado pelos produtores rurais que necessitam de suporte na armazenagem dos grãos.


Além de contar com o financiamento total da construção e ampliação de armazéns, variando de acordo com a capacidade financeira do produtor, os beneficiados pelo PCA terão até 15 anos, incluídos três de carência, para quitação do empréstimo. O PCA vai contribuir para evitar possíveis problemas de estocagem. Como o Estado caminha para um crescimento de área na agricultura, com o aumento da produção, os recursos do Governo Federal têm como objetivo evitar problemas com armazenamento e auxiliar nas estratégias de mercado de cada agricultor.


Em todo o país serão disponibilizados o montante de R$ 500 milhões para ampliação dos armazéns da Conab, sendo que R$ 350 milhões serão destinado à construção de novos silos e os demais R$ 150 milhões serão investidos em modernização para os armazéns já existentes.

Jornal Midiamax