O Feirão dos Feirões da AACC (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer), nesta terça-feira (9), reuniu muita gente, mas sem filas na área externa. O tradicional evento vende peças variadas a partir de R$ 5. Diferente do dia anterior, que teve fila que dava volta no quarteirão da sede da Avenida Ernesto Geisel, a “xepa” dava esperança para quem deixou para o último dia.

Antônio Rodrigues, de 78 anos, saiu do bairro Coophavilla para dar uma olhada no que restou. Soube do evento e decidiu conferir. “Não vim procurando algo específico, mas para ver o que tem de interessante”, disse o aposentado.

Quem deixou para a último dia não ficou horas na fila como ontem, nesta manhã o grupo liberado para entrar seguia fluxo rápido, entretanto, muitos se diziam decepcionados com o que restou.

Antônio diz que veio sem pretensão para evitar se decepcionar (Nathalia Alcântara, Midiamax)

“Não sabia que tinha ontem, minha amiga que me chamou para vir hoje. Se soubesse, acho que tinha aproveitado mais. Gastei R$ 50, mas vim olhando, não achei tanta coisa que me interessava”, contou Rosemary de Almeida Ferreira, de 49 anos.

Anderson da Silva reservou a manhã para conferir os discos de vinil. “Vi nas que tinha, tenho um toca-disco antigo. Fora outras coisas que podem me agradar”.

Capinhas de diversos modelos ainda disponíveis (Nathália Alcântara, Midiamax)

O que ainda tem?

O feirão abriu as vendas com equipamentos da Receita Federal, cerca de quatro mil peças. Segundo a diretora do voluntariado, Auxiliadora Ribas Freire, ainda não é possível detalhar quantos produtos foram vendidos e o valor arrecadado, entretanto, o público fez um “limpa” na exposição de produtos eletrônicos.

“Ainda tem muita coisa, o movimento está menor que ontem, mas ainda estamos com os salões cheios. Tem alguns celulares ainda, mas nas últimas unidades, ontem tinha mais de 70. Produtos de pesca também teve procura, ainda tem algumas linhas e anzóis. Quem busca brinquedos, produtos de casa ou tecnológicos, como modem wi-fi, o feirão compensa. A recomendação é ter uma curadoria atenta, pois ainda há variedade”.

Mais vazio, o continua com grande movimentação, cada peça é vendida no preço fixo de R$ 5, alguns acessórios a R$ 1. As araras do , com 20% de desconto, também estão esvaziando.

sacolas
Apesar de menos produtos, salão estava cheio (Nathalia Alcântara, Midiamax)

“Chegamos a renovar o estoque do brechó. Observamos que muita gente que trabalha em brechó veio repor. Temos produtos usáveis, conservados, no bazar são produtos de grife com preço acessível. Do brechó, as peças que não forem vendidas serão doadas para três comunidades carentes e do Feirão da Receita será transferido para o bazar, que mantém o atendimento de segunda a sexta-feira”.

O atendimento segue até as 17h, com entrada franca e por ordem de chegada. Além de pagamento por dinheiro e Pix, as compras acima de R$ 100 podem ser parceladas.