Com o ‘boom’ de nas a respeito de serviços não cumpridos pela agência de viagens Hurb e os 78 processos que a empresa enfrenta em Mato Grosso do Sul, o Estadual alerta ao consumidor atenção máxima para fechamento de qualquer contrato.

A empresa passa por crise que gerou no cancelamento de contratos com fornecedores e até no descumprimento de pacotes fechados, inclusive por diversos clientes em Mato Grosso do Sul. O estopim foi a demissão do CEO João Ricardo Mendes após xingar um consumidor sul-mato-grossense no Twitter.

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, uma ferramenta que ajuda o consumidor no momento de comprar pacotes de viagens ou qualquer tipo de contratação, é pesquisar sobre a confiabilidade da empresa. O site Reclame Aqui é uma opção para quem deseja fazer essa busca.

Em meio à crise, a Hurb emitiu um comunicado no Facebook, de que as questões estão sendo sanadas pela empresa. Uma das medidas adotadas foi o afastamento do antigo CEO, João Ricardo Mendes. Além disso, novos parceiros de negócios foram contratados para resolver as pendências. A agência ressalta que já iniciou o processo de pagamento dos parceiros que foram lesados.

Para entrar em contato com o Procon e fazer uma reclamação, basta acessar o site www.procon.ms.gov.br, ir presencialmente na sede do órgão, ou ligar no número 156. A denúncia pode ser feita de forma anônima.

Hurb enfrenta processos em MS

A Hurb, antigo Hotel Urbano, é uma agência de viagens que chama a atenção dos consumidores pelos pacotes nacionais e internacionais com preços atrativos. Com a pandemia os pacotes de viagens aumentaram as vendas e, devido ao fechamentos das cidades, a agência iniciou um formato de venda de pacotes com datas flexíveis, que poderiam ser alteradas pelos viajantes sem custo adicional.

No entanto, muitos clientes têm colecionado problemas que vão desde cancelamento até mudanças repentinas de datas das viagens. São planos de viagens frustrados, sonhos não realizados e muita dor de cabeça.

Somente em Mato Grosso do Sul, são 78 processos judiciais contra a empresa. Em são 51 processos de clientes que não tiveram acordo comercial cumprido pela empresa. Outras 27 ações acumulam-se nos juizados de Bataguassu, Caarapó, Cassilândia, Chapadão do Sul, Itaporã, Dourados, Três Lagoas, Nioaque, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Ribas do Rio Pardo.

Saiba quando seu reembolso da hurb tem que ser realizado

Pessoas que compraram o pacote da Hurb durante a pandemia têm mais chances de ficar no prejuízo. Isso porque Lei federal sancionada em 2020 estabeleceu que empresas de têm o prazo de 12 meses para devolver os valores pagos pelos pacotes, desde que a compra e o cancelamento tenham sido feitos no período da Covid-19, de março até dezembro de 2020.

Se a compra foi feita fora do período pandêmico, o prazo para devolução do valor gasto no pacote é de 7 dias. O período é estabelecido pela ANA (Agência Nacional de Aviação), em norma aprovada em 2016.

Além de solicitar o reembolso, o consumidor também pode ingressar na Justiça com pedido de indenização por danos.

Crise na Hurb

Em meio à crise, que inclui descumprimento de acordos comerciais e prazos de estorno, no dia 24 o CEO da empresa, João Ricardo Mendes, anunciou renúncia do cargo após xingar cliente sul-mato-grossense.

Em Mato Grosso do Sul, a Hurb é ré em 78 ações judiciais. Somente em Campo Grande são 51 processos de clientes que não tiveram acordo comercial cumprido pela empresa. Outras 27 ações acumulam-se nos juizados de , Caarapó, Cassilândia, Chapadão do Sul, ItaporãDourados, Três Lagoas, Nioaque, Nova Andradina, ParanaíbaPonta Porã e Ribas do Rio Pardo.

Além dos tribunais, reclamações sobre a Hurb também se acumulam pelas redes sociais. “Golpistas”, “Decepção” e “Só fazem falcatrua” são alguns dos comentários dos internautas.