No ‘esquenta’ para o Natal, o comércio de Campo Grande terá, na próxima sexta-feira (25) a Black Friday, data destinada a promoções no comércio conhecida pelos consumidores. Para evitar que os clientes sejam vítimas de ofertas ‘pela metade do dobro’, o Procon estadual e municipal terão QG no Centro da Capital para orientar os consumidores.

Conforme explicado pelo superintendente do Procon-MS, Rodrigo Vaz, a ação ‘De olho na Black Friday’ acontece devido ao número de propagandas enganosas promovidas por algumas empresas.

Ele explica que em um período antes da Black Friday, algumas empresas aumentam o valor dos produtos e no dia do evento, anunciam com um desconto, quando na verdade está no preço original.

“Essa ação, que contará com sete equipes de fiscalização no comércio da cidade, no centro e nos shoppings, são para evitar que os consumidores sejam fisgados por anúncios falsos e caiam em uma ‘black fraude’. O intuito da data é das descontos reais para que os consumidores possam aproveitar para comprar aquilo que está em seu orçamento”, disse.

Coletiva de imprensa no Procon | Foto: Mariane Chianezi

211 produtos fiscalizados

O secretário do Procon Municipal, Cleiton Thiago, disse que o órgão realizou pesquisa em cinco estabelecimentos e levantou o valor de 211 produtos. No dia da Black Friday, próxima sexta-feira, os mesmos itens poderão ser novamente verificados para saber se houve aumento de valor ou se entraram, de fato, em promoção.

Nos últimos 40 dias, 58,5% dos itens pesquisados demonstraram estabilidade no preço, enquanto o restante tiveram aumento no valor. Caso algum dos produtos que tiveram alta forem anunciados como item de Black Friday na sexta com o valor inicial, o estabelecimento pode ser penalizado.

“Se uma smartv custa R$ 1 mil e dias antes da Black Friday o vendedor anuncia a R$ 1,5 mil para que no dia da Black coloque uma promoção por R$ 1 mil, ele está cometendo uma infração”, disse o secretário.

Como posso denunciar?

O consumidor que está visando um produto desejado e tem pesquisado o valor, mas no momento da compra na Black Friday se deparar com um valor acima do comum, poderá denunciar.

O QG do Procon, que terá servidores estaduais e municipais, ficará na Rua 14 de Julho, entre a Marechal Rondon e a Dom Aquino, e receberá as denúncias dos consumidores que suspeitarem de alguma fraude, poderá procurar atendimento.

Para denunciar por telefone, basta ligar no 151 ou no 156. A orientação é que o consumidor tenha fotos e relate detalhadamente a situação. Vaz reforçou que, além de receber as denúncias, o Procon tem a função de orientar o consumidor. “É uma ação, acima de tudo, educativa aos consumidores”, disse.