Energisa vai cobrar 3ª tarifa mais cara do Brasil com custo acima dos R$ 80 a cada 100 kWh consumido

Reajuste de 18,16% foi decidido nesta terça (12)
| 12/04/2022
- 10:36
Energisa vai cobrar 3ª tarifa mais cara do Brasil com custo acima dos R$ 80 a cada 100 kWh consumido
(Foto: Nathalia Alcântara/Jornal Midiamax)

A Aneel (Agência Nacional de Elétrica) decidiu na manhã desta terça-feira (12) pelo aumento de 18,16% na conta de luz na área de concessão da MS. Com isso, o Estado terá a 3ª tarifa mais cara do Brasil.

Para os consumidores de baixa tensão, como residenciais, o impacto será de 17,93%. Para consumidores de alta tensão (indústria) o efeito é de 18,81% e para o consumidor rural o maior impacto: 25%. Os novos valores entram em vigor neste sábado, 16 de abril, junto da vigência da bandeira verde (que não traz adicional à tarifa). 

Confira aqui a decisão na íntegra.

Segundo a presidente do Concen-MS (Conselho de Consumidores das Áreas de Concessão da Energisa em Mato Grosso do Sul), Rosimeire Costa, nossa base da tarifa até agora custa R$ 69,00 a cada 100 kWh consumido de baixa tensão. Agora, com reajuste, será de R$ 81,20 a cada 100 kWh.

"A gente vive em um monopólio natural e espera do governo que, para os  próximos anos, tenhamos um modelo do Setor Elétrico mais aderente ao consumidor. Somos 84 milhões no País, um orçamento magnânimo. Ninguém no Setor Elétrico está perdendo dinheiro, mas quem está pagando na ponta é o consumidor. Serviços essenciais como energia elétrica e água precisam do princípio basilar da modicidade tarifária”, defendeu Rosimeire Costa.

Rosimeire destacou ainda que a extensão territorial da área de concessão, com poucos condôminos, se traduz em efeitos insuportáveis a todos. "Por isso preciso consumir com consciência", conclui. 

Veja também

Uma cartilha que mapeia serviços ao longo das rodovias brasileiras foi lançada pelos ministérios da...

Últimas notícias