Cotidiano / Consumidor

Com ‘tudo liberado’, por que bancos continuam com horários restritos em Campo Grande?

Com atendimento somente até as 14h, restrição causa filas e mudança depende da Federação

Mylena Rocha Publicado em 20/10/2021, às 14h00

Ainda não há previsão para retorno do atendimento até as 16 horas.
Ainda não há previsão para retorno do atendimento até as 16 horas. - Marcos Ermínio/Midiamax

Depois de meses de pandemia, a campanha de vacinação avançou muito e permitiu a liberação das atividades em Campo Grande. No geral, não há mais restrições nos estabelecimentos e uma das poucas regras que continua é o uso de máscaras. Com ‘tudo liberado’, os bancos estão entre os poucos estabelecimentos que mantêm o horário restrito desde o início da pandemia — o que gera fila e inúmeras reclamações dos clientes. 

Não é raro passar em frente a um banco por volta das 11 horas e encontrar uma fila extensa de pessoas à espera de atendimento. Desde o início da pandemia, os bancos têm funcionado das 9 horas às 14 horas, enquanto antes o atendimento seguia até as 16 horas. 

Mas, afinal, por que continuar atendendo em horário restrito enquanto os outros setores já retomaram a rotina? Quando os horários serão normalizados? Por enquanto, não há resposta. O vice-presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, Rubens Jorge Alencar, explica que os horários são regulamentados pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e valem para todo o território nacional. 

Por enquanto, os bancos seguem com atendimento prioritário das 9h às 10h. Para o público em geral, o atendimento é das 10h às 14h. “Só a Caixa que tem um horário diferente”, comenta. 

Alencar reforça que existe a intenção de mudar os horários de atendimento nos bancos de Campo Grande, mas a alteração depende da Federação. Além disso, ele afirma que os bancários têm retomado o trabalho presencial aos poucos, depois de terem passado meses em home office. “O retorno dos bancários tem sido gradativo, estão retornando ao trabalho presencial”, explica. 

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Febraban e não obteve resposta até a publicação desta reportagem. O espaço continua aberto para posicionamento.

É lei: cliente só pode esperar 15 minutos

Quem nunca levou um 'chá de cadeira' à espera de atendimento em um banco? Pode até parecer ‘normal’, mas a lei determina que tempo de espera em uma agência bancária deve ser curto. Há leis estadual e municipal que regulamentam o prazo para espera e a agência pode até acabar multada. 

O superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão, explica as regras para que os consumidores tenham ciência de seus direitos. “O prazo legal, em regra geral, é de 15 minutos. É uma lei estadual. Também existe uma lei municipal, a regra é: 15 minutos no geral; em dias de véspera de feriados prolongados, é 20 minutos; e dias de pagamentos de salários de servidores públicos é de 25 minutos”.

Jornal Midiamax