Cotidiano / Consumidor

Após implementação de QR Code, Flex Park é notificada pelo Procon-MS

Órgão ainda relata diversas denúncias sobre procedimentos considerados abusivos

Gabriel Neves Publicado em 22/07/2021, às 07h38

Novidade foi implementada há pouco e ainda é desconhecida por alguns motoristas
Novidade foi implementada há pouco e ainda é desconhecida por alguns motoristas - (Foto: Divulgação/Procon-MS)

O Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) notificou a Flex Park nesta quinta-feira (22), após diversas reclamações de procedimentos considerados abusivos. O órgão deu um prazo de dez dias para que a empresa preste esclarecimentos sobre a suspensão da utilização de “chaveiros” nas vagas de estacionamento.

De acordo com o Procon-MS, foram recebidas diversas denúncias de que a Flex Park estaria obrigando o usuário (consumidor) a instalar um aplicativo específico em seus celulares, uma vez que o uso do chaveiro está sendo extinto.

“A medida fere os direitos do consumidor levando-se em consideração que nem todas as pessoas que necessitam estacionar possuem aparelhos compatíveis com tal aplicativo”, explica o órgão.

Também é relatado que muitas pessoas, principalmente idosos, não possuem habilidades suficientes para o uso da tecnologia exigida pela empresa e, por isso, ficam impossibilitadas de utilizar os espaços destinados para o estacionamento. Em 2017, o Procon-MS chegou a realizar uma reunião com a Flex Park com objetivo de apresentar possibilidades de soluções para os problemas relatados.

Reclamações acumuladas

Ainda segundo o órgão, a cada dia se acumula o número de reclamações relacionadas às restrições impostas pela empresa aos consumidores, além do mau atendimento de parte de seus servidores denominados como orientadores.

Mais recentemente, a reclamação que tem se tornado recorrente é relacionada ao posicionamento de QR Code colocado em mini totens na calçada, o que ocorre inicialmente na rua 14 de Julho. Nesse caso, o registro de permanência no local só é possível por meio do aplicativo, instrumento que grande parte dos usuários não possui.

“Para muitos, o QR Code, implantado após a revitalização da via pública, passa até despercebido e, ao estacionar seu veículo é surpreendido por notificação de multa deixada pelos 'orientadores' que dificilmente são encontrados no local e, segundo usuários só aparecem para multar”, afirma o Procon-MS.

O órgão usa como exemplo o caso de uma consumidora que relatou ter estacionado seu veículo para entrega de alguns documentos - ação que levou menos de cinco minutos - e quando retornou, se surpreendeu com a notificação de multa colocada no para-brisa.

Jornal Midiamax