Cotidiano / Consumidor

Procon-MS encontra variação de 10% no preço da gasolina e pede detalhamentos a postos

Todos os 160 postos da Capital deverão enviar detalhamentos à Superintendência

Guilherme Cavalcante Publicado em 16/07/2018, às 10h46 - Atualizado às 11h00

(Foto: Arquivo Midiamax)
(Foto: Arquivo Midiamax) - (Foto: Arquivo Midiamax)

A Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS) notificou todos os 160 postos de combustíveis da Capital a fim de que os estabelecimentos forneçam detalhamentos que expliquem as diferenças percentuais entre os preços praticados nas bombas e o adquirido nas refinarias.

De acordo com o titular da superintendência, Marcelo Salomão, os pedidos de detalhamento referem-se não só ao período da greve dos caminhoneiros, finalizada em maio, período em que o Procon-MS iniciou a operação de fiscalização por preços abusivos na venda de combustíveis – mas também nas datas que antecederam as paralisações e durante o início das reduções tributárias que barateariam o preço do diesel nas bombas.

Segundo o superintendente, os estudos preliminares sugerem que a redução de preços após as reduções de impostos podem ser maiores e os dados solicitados contribuirão para um diagnóstico. Cada estabelecimento terá até 15 dias, a contar da notificação, para fornecer as informações.

“O Procon-MS conseguirá verificar com mais precisão se os referidos revendedores estão realmente repassando essa redução ao consumidor final. Já tivemos uma reunião com as distribuidoras, que nos apresentaram as notas fiscais de venda. Agora queremos que os postos forneçam as planilhas, para que a gente entenda como está o apreçamento após a redução tributária. Precisamos desses dados, porque entendemos, preliminarmente, que a redução pode ser maior”, destaca Salomão.

Pesquisa

Entre os dias 9 e 12 de julho, o Procon-MS realizou em Campo Grande pesquisa de preços na qual encontrou variação de mais de 15% na gasolina aditivada e mais de 10% no óleo diesel. Na mesma pesquisa, o órgão também constatou redução no preço na gasolina comum em 2,31% e 5,68% no óleo diesel, comparativo com a pesquisa anterior realizada pelo órgão no mês de junho.

Na Capital, a gasolina mais barata durante o período pesquisado sai a R$ 3,999. A aditivada foi constatada a R$ 4,059, enquanto o etanol sai a R$ 2,959. Diesel comum e o S-10 foram encontrados a R$ 3,250 e R$ 3,369 , respectivamente.

Já o preço mais caros da gasolina comum foi encontrado a R$ 4,399 e R$ 4,689 na aditivada. O Etanol mais caro sai a R$ 3,399. Diesel comum e S-10 saem a R$ 3,599 e R$ 3,699, respectivamente. Clique AQUI e confira os preços e locais de abastecimento.

Para consumidores que queiram fazer denúncias, três canais estão disponíveis: pelo número 151, no Fale Conosco do Procon e denúncia presencial. O Procon está localizado na rua 13 de Junho, 930, no Centro de Campo Grande. O telefone de contato é o (67) 3316-9800.

Jornal Midiamax