Cotidiano / Consumidor

Procon vai denunciar Caixa no MPT por suspensão de depósitos durante greve

Clientes não conseguem realizar depósitos

Midiamax Publicado em 08/09/2016, às 18h51

None
_mg_7087.jpg

Clientes não conseguem realizar depósitos

Clientes bancários em Campo Grande estão com dificuldades para realizar depósitos na Caixa Econômica Federal, em razão da greve dos bancários, deflagrada na terça-feira 96). Em alguns agências, as pessoas não conseguem realizar o serviço pela falta de formulário. Em outros no entanto, a própria agência afirma que o serviço está suspenso.

A prática, no entanto, é proibida, e após denúncias, o Procon/MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) – junto com o MPE/MS (Ministério Público Estadual em Mato Grosso do Sul) -, irá ingressar uma representação no MPT/MS (Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul) solicitando intervenção para declarar a greve ilegal.

De acordo com a superintendente do Procon, Rosimeire Costa, apenas nesta quinta-feira (8), o órgão recebeu 7 reclamações de agências da Caixa na capital. “Na verdade, assim, o serviço bancário é considerado essencial, não adianta o comando de greve ou a caixa dizer que não vai atender. Nós recebemos 7 reclamações de unidades da caixa, no ano passado a gente verificou abuso tanto da greve quanto dos funcionários”, explicou.

No início dessa tarde, a reportagem confirmou que uma das agências da Caixa, na Avenida Mato Grosso, recebe os clientes com a negativa do serviço. Os próprios guardas no local orientam as pessoas para que procurem agências lotéricas. A dificuldade com o serviço está lotando as lotéricas, que nem sempre podem ajudar, já que possuem limite de valores.

O empresário Manoel Paulo Barbosa, 46, foi até a agência da Caixa na Avenida e recebeu a orientação de que deveria procurar a lotérica ao lado da agência. “O guarda me informou que não estava fazendo depósito”, explicou.

Denúncia

O serviço bancário é um dos serviços essenciais, ou seja, durante as greves, deve funcionar com 30% do efetivo e não paralisar o atendimento. “O consumidor já não está utilizando o serviço do banco completo, as pessoas que estão lá estão sendo inviáveis, porque mesmo que você deposite você tem que ter a confirmação. A gente tem que prever isso porque entra no percentual de 30%”, conta a superintendente do Procon.

A denúncia ao MPT deve ser realizada na sexta-feira (9). Conforme explicou a superintendente, o Procon já adiantou ao MPE que a representação seria necessária. “Agora a tarde estamos indo às agências, checado isso, amanhã a gente já representa essa comunicação com o ministério público do trabalho”.

A suspensão dos depósitos, de acordo com Rosimeire, está prejudicando os idosos. “Hoje o que é ruim, é que a gente está no quinto dia útil do pagamento, tem várias idosos que não tem cartão. É preciso haver em cada agência uma determinação pra que tenha uma pessoa ali pra resolver esses problemas graves. Essa greve é indeterminada, vamos supor que ela dure 15 dias. Essa pessoa não vai comer? Estamos com um problema bem intenso”, declarou.

Sindicato

O Seebcgms (Sindicato dos bancários de Campo Grande/MS e região) explicou, por meio da assessoria de comunicação, que qualquer cliente que se sinta lesionado pela suspensão do serviço deve procurar a agência bancária. “O sindicato não tem como interferir nisso. Se falta alguma coisa, isso é coisa do banco. A orientação da greve existe mas a greve é voluntária. Nem todas as agências aderiram”, afirmou.

Até o momento não houve avanço nas negociações e não há previsão para que os serviços sejam retomados. O Seebcgms afirma que 70% das agências estão paralisadas. Os bancários reivindicam reajuste salarial de 14,78%. A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), por sua vez, ofereceu 6,5%. A proposta foi rejeitada e uma nova sugestão deve ser apresentada durante reunião entre a categoria e a federação, nesta sexta-feira (9).

O Jornal Midiamax aguarda posicionamento da Caixa Econômica Federal.

Jornal Midiamax