Cotidiano / Consumidor

Procon alerta para cuidados com compras pela internet e aponta sites mais reclamados em MS

Com o aumento no volume de compras e vendas no final do ano por conta do 13° salário e festas, as compras pela internet aumentam e nem sempre os prazos são cumpridos pelas empresas. A Superintendência de proteção e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul (Procon/MS) orienta os consumidores a ficarem de olho […]

Arquivo Publicado em 28/11/2011, às 14h22

None
Com o aumento no volume de compras e vendas no final do ano por conta do 13° salário e festas, as compras pela internet aumentam e nem sempre os prazos são cumpridos pelas empresas. A Superintendência de proteção e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul (Procon/MS) orienta os consumidores a ficarem de olho nos sites de compras à distância.
Segundo o superintendente estadual do Procon, Lamartine Ribeiro, a demora na entrega e dificuldade para devolver o produto são as maiores causas de reclamações dos consumidores em Mato Grosso do Sul. Os sites mais reclamados são os do grupo BW2, que incluem o Shoptime, Submarino e Americanas.com. 
“Apesar de reclamados por conta da demora, esses sites são confiáveis por serem tradicionais e têm a preocupação em devolver o dinheiro do consumidor caso algo dê errado”, diz Lamartine. 
Além disso, se o consumidor se arrepender da compra ou quiser apenas devolver o produto mesmo após abrir o pacote de entrega dos Correios, os sites são obrigados a trocar o produto ou devolver o dinheiro. “Nestes casos, os maiores problemas estão na dificuldade de mandar o produto de volta para a empresa, que é obrigada a custear a troca e de forma imediata”, alerta o superintendente. 
As maiores preocupações do consumidor devem se voltar para o site em que realizam as transações, já que muitos dados pessoais são fornecidos para realizar a compra e existem sites no mercado que são feitos para dar golpes. 
Compras coletivas
Para Lamartine Ribeiro, os sites de compra coletiva em Campo Grande não têm apresentado muitas reclamações. “Isso porque atuamos bem perto no momento da implantação. Os sites são responsáveis por avaliar se aquela oferta pode ser honrada ou se ela é verdadeira”, afirma.
Jornal Midiamax