Cotidiano / Consumidor

Superintendente do PROCON/MS lamenta descumprimento de prazos e orienta distrato dos consumidores

A pessoa vai até um representante autorizado da fábrica para adquirir um determinado produto, porém a entrega, ou realização do serviço contratado, não ocorre no prazo que é combinado. Em razão disso outra unidade da marca assume essa responsabilidade e promete o cumprimento com nova data. Essa é a novela que a arquiteta Luciany Matsubara […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None
1127348343.jpg

A pessoa vai até um representante autorizado da fábrica para adquirir um determinado produto, porém a entrega, ou realização do serviço contratado, não ocorre no prazo que é combinado. Em razão disso outra unidade da marca assume essa responsabilidade e promete o cumprimento com nova data. Essa é a novela que a arquiteta Luciany Matsubara vive desde que comprou móveis planejados da Todeschini na loja da Rua Ricardo Brandão, hoje fechada por uma interdição.

“O consumidor não tem nada a ver com problemas de logística, empresariais ou comerciais que a empresa venha a ter. O prazo de acesso é um fator determinante na decisão da compra, que interfere muito na escolha. Existe uma Lei Estadual que determina o esclarecimento de uma data, inclusive do turno, para a entrega, sob pena de multa para o comércio. Se não acontecer como foi acordado o consumidor pode solicitar o distrato e ter o seu dinheiro de volta. Se não fizer isso acaba aceitando as condições impostas pela empresa”, relata o superintendente regional do PROCON/MS, Alexandre Resende.

No dia 22 de agosto a Todeschini emitiu uma nota aos consumidores com a informação que fará através de uma nova agenda operacional o atendimento de todas as encomendas da JP Imóveis. Foi nessa loja que Luciany adquiriu armários de quarto, closet e banheiro pelo valor de R$ 27 mil com prazo de entrega para agosto. No entanto, a data de montagem determinada pela unidade da fabricante na Avenida Afonso Pena prevê a entrega apenas em outubro, 45 dias além do previsto.

“A Todeschini S/A, fábrica de móveis planejados com 74 anos de atuação no mercado, informa que desde o dia 09/08/2013 promoveu o descredenciamento da empresa JP Imóveis, localizada no bairro Chácara Cachoeira. A medida visou resguardar os direitos dos consumidores, evitar problemas futuros e manter a integridade da marca no mercado”, diz a nota que orienta os cliente a entrarem em contato com a Todeschini Afonso Pena, pelo telefone (67) 3044-0029.

Móveis não planejados

Luciany Matsubara realizou a compra dos móveis da marca Todeschini na loja da Avenida Ricardo Brandão em junho deste ano. O sonho da arquiteta e do marido era de que a nova casa recebesse a montagem dos armários logo na mudança planejada para agosto, o que não foi realizado. A família abandonou o aluguel, mas terá que esperar até outubro para ter o quarto, o closet e o banheiro que desejavam segundo a Todeschini Afonso Pena.

“Precisarei mudar sem os móveis, mas pelo menos vão entregar. Se a gente atrasa pagamento recebe multa, porém se eles atrasam e a gente só tem que esperar. É incrível como é diferente o tratamento na hora da compra” reclama Luciany, que religiosamente paga as parcelas da compra dos móveis planejados da fabricante.

Jornal Midiamax