A quantidade de vítimas fatais por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), em Mato Grosso do Sul, cresceu 57.89% na última semana, saindo de 19 para 30 óbitos. A quantidade de internações seguiu ritmo semelhante e o Estado terminou janeiro com 305 hospitalizações pela doença, alta de 58,85%.

Os dados constam no boletim da SES-MS (Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul), sobre a quarta semana epidemiológica, divulgados nesta sexta-feira (2). 

Mato Grosso do Sul também identificou a primeira coinfecção por SARS-CoV-2 e outros agentes etiológicos.

(Fonte: SES-MS)

continua na liderança de internações com 135 notificações. Corumbá, a 425 km da Capital, vem muito atrás em segundo lugar com 26 registros. Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande, completa o ranking com 14 casos. 

Idosos com mais de 80 anos de são as principais vítimas da SRAG no Estado, representando 18% das internações e um terço das mortes. 

Vacina

A vacina contra a e a protegem contra casos graves de SRAG. Os campo-grandenses interessados em se imunizar podem buscar uma unidade de saúde. Clique aqui e confira os locais.