Se você pensou que ia aproveitar o inverno em Mato Grosso do Sul debaixo das cobertas curtindo o frio e tomando chocolate quente, se enganou. Segundo prognóstico, a estação será marcada por ser “fora da curva” em 2024.

O inverno chega ao na próxima quinta-feira (20) às 16h51 e o Cemtec-MS (Centro de Monitoramento do Tempo de Clima de MS) indica que a estação será com menos chuvas e mais quente que o normal.

Isso porque as precipitações devem ficar abaixo da média histórica, que varia entre 100 mm e 300 mm a depender da região do Estado. Vale lembrar que MS enfrenta há semanas a falta de chuva e, consequentemente, a baixa umidade relativa do ar.

Essa época já é conhecida pela estiagem em MS e as previsões indicam tempo ainda mais seco para 2024. A previsão engloba o trimestre Julho-Agosto-Setembro. O inverno termina oficialmente em 22 de setembro de 2024.

Essa projeção corrobora com os dados que vêm sendo observados no Estado, em maio, que mostra chuvas abaixo da média histórica.

inverno
Estação deve ser mais quente neste ano (Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

Frio?

O inverno geralmente é conhecido por temperaturas mais amenas e até um frio ou outro durante a estação. Além da queda das temperaturas, também é característica da estação, noites mais longas e dias mais curtos.

As baixas temperaturas observadas durante o inverno, favorecem a formação de geadas e nevoeiro/neblina. Entretanto, 2024 deve ter um inverno com temperaturas 80% acima da média.

A previsão indica 65% de probabilidade para a ocorrência do fenômeno da La Niña no trimestre de
Julho-Agosto-Setembro.

Segundo o Cemtec, este é um fenômeno oceânico-atmosférico de resfriamento das águas do oceano Pacífico, e por consequência, gera mudanças nos padrões de circulação atmosférica que impactam no regime das chuvas.

Além disso, a atuação da La Niña durante o trimestre pode favorecer a incursão mais frequente de massas de ar frio. Entretanto, vale destacar que não é apenas esta forçante climática que determina as condições gerais do clima.

Alerta para queimadas

A maior parte do território do Estado está entre o nível de alerta ‘Observação’ e ‘Alerta’. Os municípios das regiões central, leste, norte e nordeste estão em nível de ‘alerta alto’.

Se comparado ao mesmo período de 2023, neste ano houve maior intensidade nos níveis de alerta da previsão de probabilidade de fogo.