Com a temporada de chuvas em boa parte de Mato Grosso do Sul, aumenta a preocupação com os casos de dengue. Nessa quarta-feira (29), em poucos minutos, a reportagem do Jornal Midiamax registrou locais, em , com muito lixo acumulado, que se tornam criadouros do Aedes aegypti e abrigos para escorpiões também.

Na Rua Marcelino Pires, na região dos bairros Vilas Ieda e Olinda, encontramos um terreno com muito entulho, galhadas e, principalmente, vasilhas com água parada. “São muitos casos por aqui. Tem um rapaz, um vizinho, que estava internado e agora está se recuperando em casa”, disse Basílio Silva, que mora perto do terreno abandonado.

A área se tornou uma dor de cabeça para a vizinhança. A prefeitura de Campo Grande limpou o local, mas novamente pessoas de outros bairros surgem de repente e descarregam a ‘sujeirada'. “Pensamos até em fechar a área, mas proibiram a gente de fazer isso, afirmou Basílio”.

Placa: ‘Proibido jogar lixo'. (foto: Ari Theodoro, Midiamax)

Tem até uma placa: “Atenção: proibido jogar lixo, sujeito à multa”, mas parece apenas um enfeite por ali. Como se não bastassem os focos de dengue, tem ainda o problema com os escorpiões. “Recentemente, minha sogra foi picada por um escorpião. Tem aparecido muitos desses bichos nas casas”, ressaltou o aposentando.

Mais aos fundos da área, um grande amontoado de entulhos, restos de aparelhos de TV e até vasos sanitários, também com água parada. Outro morador que sofre com a situação é Cláudio Jarres, que reside na Rua Montenegro, nos fundos do terreno. “Só ontem, eu matei dois escorpiões no banheiro. Daqui a uns dias, vamos receber parentes com em casa, e aí a gente fica com muito medo”, comentou o vigilante.

Até ‘vasos sanitários' com água parada. (Foto: Ari Theodoro, Midiamax)

Ele até tenta vigiar o pedaço para que o local não se torne um lixão, mas essa é uma batalha diária. “Quando a gente vira as costas, vem um carro e a pessoa joga monte de coisas de novo. A gente pede providências”, finalizou Cláudio.

Casos de dengue em MS

De acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde, publicado nesta semana, neste ano já foram registrados mais de 40 mil casos de dengue, isso representa quase o dobro do que foi contabilizado em 2022 inteiro. Ao todo, 40 pessoas morreram vítimas da doença neste ano e das 79 cidades de Mato Grosso do Sul, apenas 4 não apresentam alta incidência da doença. Campo Grande lidera o ranking da com mais casos, já são mais de 12 mil registros.

Vasilha com água parada. (Foto: Ari Theodoro, Midiamax)