Mato Grosso do Sul contratou mais de 5.688 trabalhadores com carteira assinada no mês de fevereiro de 2023, principalmente entre os setores de serviços, e construção. No acumulado dos últimos 12 meses, 39.857 empregos formais foram criados no Estado, com destaque no município de .

Os dados constam na Carta de Conjuntura do Mercado de Trabalho elaborada pela Coordenadoria de Estatística e Economia da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), com base no levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Os líderes de geração de postos são Serviços (1.839 a mais), Agropecuária (1.653 a mais) e Construção (1.567 a mais). Os setores de Comércio e de Serviços vêm apresentando, no acumulado dos últimos 12 meses, um saldo de 7.935 e 13.631 vagas de trabalho, respectivamente.

Titular da Semadesc, Jaime Verruck acredita que, a partir do segundo semestre deste ano, quando o Programa Minha Casa, Minha vida for retomado, o setor da Construção Civil deve ter um novo impulso, principalmente nos pequenos municípios.

A Agropecuária também teve um aumento significativo em fevereiro devido ao início da colheita da soja, quando normalmente se contratam muitos trabalhadores.

“Agora inicia-se outras atividades do setor, como a colheita da cana. Estivemos em Nova Alvorada do Sul participando de um ato que marca a safra 2023 do setor sucroenergético, que vem com uma perspectiva muito positiva de incremento da safra e, consequentemente, dos empregos”, destaca, citando ainda o setor agroflorestal como importante gerador de empregos.

“Todas as empresas desse setor estão investindo no plantio de eucalipto. Isso demanda muita mão de obra e percebemos claramente isso nos municípios de , Água Clara, Ribas do Rio Pardo, , . Toda essa região florestal tem aumentado o nível de emprego na agropecuária”, destaca.

Já a Indústria de Transformação ocupou 306 vagas em fevereiro. Levantamento ainda aponta que o município que mais gerou empregos formais foi Ribas do Rio Pardo, com 2.717 vagas.  

Ainda conforme o Governo do Estado, Mato Grosso do Sul tem um dos menores índices de desocupação, com base na Contínua (Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

“Apenas 3,3% da população economicamente ativa está desocupada. É o que chamamos de pleno emprego em economia. Temos muitas vagas de trabalho para serem preenchidas, estimamos que pelo menos 20 mil vagas, falta a oferta da mão de obra. Com isso poderíamos ter gerado muito mais emprego em fevereiro”, ressalta o secretário.

Acesse a Carta Conjunta do Mercado de Trabalho na íntegra.

Saiba Mais