Inicialmente, o técnico em consertos Giva Cordeiro encontrou uma cadela da raça bulldog francês acreditando que estaria perdida pelas ruas do bairro Flamboyant, em Campo Grande, na noite de terça-feira (25). Mas a coleira cor de rosa esclarecia que a pequena ‘Lila’ foi abandona na sorte de encontrar alguém disposto a ajudar em uma cirurgia: ‘meu dono não tem condições, por favor me adote’.

Um tumor na barriga, próximo ao coração, está visível e pode ter sido o motivo da crueldade do antigo tutor. Giva notou a cachorra entre as ruas Brasilândia e do Vale, por medo dela ser atropelada resolveu resgatá-la e anunciar nas redes sociais, na esperança de encontrar o dono.

Ferimento visível (Foto: Leitor Midiamax)

“Quando fui ler na coleira, o dono dela jogou na rua porque não tem condições de mandar fazer a cirurgia. Abandono de animais domésticos é crime, jogar o animal na rua porque está doente? Achei um absurdo”, disse.

Giva deu água e comida, pois Lila aparentava cansaço. Embora o resgate, ele já tem outros três cães em casa. Além de pedir ajuda para a cirurgia dela, procura por um lar temporário. Quem se solidarizar pode entrar em contato pelo WhatsApp (67) 99260-3712.

Abandono é crime

Recentemente o Midiamax publicou um material sobre o abandono de animais e a banalização da lei. Quanto à tipificação do crime, o abandono está configurado no artigo 32, parágrafo 1-A da Lei 9605/98, para casos de conduta que resulte na morte do animal. A pena vai de dois a cinco anos de prisão, para os casos de cães ou gatos, para outros a pena varia de três meses a um ano de reclusão.