Em , 42% da população se autodeclara branca. O percentual é alto, mas menor que os 47% registrados em 2010. Os dados são do Censo 2022 e, mais do que a miscigenação da população, mostram como as pessoas se enxergam. na sociedade.

Em 12 anos, mais de 23 mil pessoas passaram a se autodeclarar indígenas. Dessa forma, o índice da população de Mato Grosso do Sul que era de 2,99% de indígenas em 2010 subiu para 3,48% em 2022.
O percentual de autodeclarados pretos também cresceu ao longo dos anos. Foram quase 60 mil pessoas pretas a mais em 2022, elevando o índice estadual para 6,5% da população. Em 2010, apenas 4,9% dos sul-mato-grossenses se declaravam pretos.

A população de pessoas que se declaram amarelos caiu em 12 anos, de 1,22% para 0,71%, em números absolutos, foram 10 mil a menos. Já de pardos cresceu, chegando a quase metade da população. Em 2022, 46% ou 1,2 milhão de habitantes se declararam pardos em MS.

Municípios, raça e cor

Os dados do IBGE ainda mostram a divisão de cor e raça por município de Mato Grosso do Sul. Em 2010, 61% se declaram brancos em Paranaíba e 64% da população de Ladário, era de pardos autodeclarados.
tinha o maior percentual de indígenas com 49% da população, concentrava 1,97% de amarelos e 10,7% de pretos estavam em Corguinho.

Em 12 anos pouca coisa mudou. Paranaíba segue sendo o município com maior percentual de brancos autodeclarados, 54% dos moradores em 2022. A maioria dos pardos passou a ser em Ladário, com 66% da população autodeclarada.

Corguinho manteve 10,77% da população preta, e 57% da população de Japorã se autodeclarou indígena. despontou com 1,32% da população amarela.

Idade média por cor ou raça

A média da população de Mato Grosso do Sul é mais baixa do que a média nacional. Os dados do IBGE de 2022, mostram que enquanto no Brasil a idade média é 35 anos, no Estado é de 33 anos.

Já por raça e cor apenas os pretos de Mato Grosso do Sul tem idade média superior a do Brasil, com 37 e 36 respectivamente. Em relação aos autodeclarados brancos, a média de idade estadual é 34 enquanto a nacional é de 37 anos.

Indígenas tem a menor idade média, com 22 no Estado e 23 nacionalmente. Pardos tem idade média de 32 nas duas esferas e amarelos, 44 no país e 43 no Estado.

De longe, indígenas tem a menor média de idade no Mato Grosso do Sul, o que demonstra a baixa expectativa de vida. Em Alcinópolis o dado mais alarmante, idade média de 11 anos e em Jateí, 15 anos. As maiores médias são de Taquarussu e Camapuã, com 49 anos.

Amarelos apresentam a maior média de idade, sendo 60 anos em Taquarussu e Terenos.