Funcionários da de , que estavam com atividades paralisadas em protesto por falta de pagamento, voltaram ao trabalho após recebimento da folha salarial de fevereiro. A confirmação do pagamento foi feita pelo Siems (Sindicato dos Trabalhadores da Área da ).  

“O Siems informa que nesta tarde, às 16h, os trabalhadores da enfermagem da Santa Casa receberam os salários que estavam em atraso. Destacamos que o pagamento só foi efetuado após intensa mobilização dos profissionais, apoio da sociedade e ampla divulgação da mídia”, informa nota divulgada. 

Após a quitação, o presidente do Sindicato, Lázaro Santana, disse que espera que a Prefeitura da Capital e a administração do se organizem para evitar que episódios do tipo se repitam.

 “Não é possível que os profissionais da saúde passem por essa situação novamente, são chefes de família com compromissos, contas a pagar e filhos para alimentar”, pontuou.

Paralisação

Pela manhã, cerca de 250 funcionários da Santa Casa de Campo Grande cruzaram os braços em paralisação que seguiria até às 18h.

A administração do hospital informou que a Prefeitura Municipal de Campo Grande não havia feito o pagamento de R$ 14,362,116,57 referente ao serviço prestado ao município em fevereiro, o que emperrou o salário dos 3,6 mil funcionários celetistas. 

O Sintesaúde e o Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) organizaram os trabalhadores em assembleia continuada, sistema em que 250 funcionários de diversas áreas cruzam os braços, enquanto os demais continuam o atendimento à população. A Santa Casa tinha 701 pacientes internados nesta quinta-feira.

Confira abaixo a nota da Prefeitura:

“A Sesau informa que recebeu na data de ontem um indicativo de greve que afetaria parte dos atendimentos na Santa Casa, informando que este aconteceria em decorrência da falta de pagamento. Importante ressaltar ainda que a Prefeitura contratualiza somente os serviços com hospital e não possui vínculo empregatício com os funcionários. Desta forma, cabe ao hospital arcar com tais despesas. De toda forma, a Secretaria deve regularizar os repasses pré-fixados nos próximos dias e manter o contato com a equipe da administração do hospital com o intuito de regularizar a situação dos demais repasses a serem feitos”.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) enviou nota informando que a “ordem de pagamento que seria realizada nesta quinta-feira (9), refere-se ao valor de convênio repassado mensalmente ao Hospital Santa Casa de Campo Grande”.