Neste sábado (11), acontece na , a Feira do Coletivo de Mulheres Empreendedoras, que segue até às 14 h. O projeto começou com 20 mulheres e hoje são 270 no total, que se revezam na comercialização de vários produtos, em diferentes locais e feiras da capital.

A representante do grupo, Rosane Mely, disse que o Coletivo surgiu durante a pandemia com objetivo de fomentar a economia, aumentar a rendas das mulheres e também para unir as empreendedoras. “Sempre incentivamos as mulheres a buscar qualificação e comercializar seus produtos. Além da Feira aqui na Praça, realizamos também ações sociais nos bairros da nossa cidadel”, disse Rosane.

Rosane Mely, representante do Coletivo de Mulheres Empreendedoras (Nathalia Alcântara, Midiamax)

Neste ano, duas ações sociais foram feitas, nos bairros União 2 e no 1. “Na região do Aero Rancho, foram oferecidos exames preventivos, mamografia, cursos de auto maquiagem para as empreendedoras. Também fizemos cortes de cabelo e designer de sobrancelha para os moradores”, reforçou Rosane.

Plantas, perfumaria, gastronomia e muito artesanato são comercializados pelas mulheres. Maria Rosilde vende a famosa ‘saltenha’ e também pratos, como: carreteiro com banata frita e buraco quente (pão francês com requeijão e carne moída ao molho). Ela, que trabalhava como secretária escolar, se aposentou em 2015 e depois começou a produzir os ítens para vender. Entre os últimos locais, estava na Praça da Bolívia, quando veio a pandemia e parou os trabalhos.

Maria Rosilde voltando a vender seus produtos. (Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax)

“Há três meses, eu voltei a vender com essas empreendedoras. Ajuda na nossa renda, é uma oportunidade pra desenvolver a mente, pra não ficar parada em casa e ainda pra fazer novas amizades”, comentou Rosilde. Ela também trabalha na Feira São Chico, na Orla Morena, todo segundo sábado do mês, e na feira do bairro Santo Antônio.

Entre os itens mais procurados estão também os artesanatos. Sônia Damasceno tem 62 anos, faz crochê desde os “10 anos de idade” e sempre vendeu roupas de e Goiás, em feiras da capital. “Agora o meu forte é a costura criativa, que tem bastante saída com os vestidos longos e curtos para as mulheres adultas e para as crianças. Uma outra boa saída hoje é a moda praia, bastante procurada pelas mulheres”, explicou Sônia. Ela também vende os produtos na e na feira do Macaúbas. Além das roupas e lindos tapetes de crochê, também tem um brechó com roupas masculinas e femininas.

O Coletivo de Mulheres Empreendedoras acontece na Praça Ary Coelho todo segundo sábado do mês. Na praça do Jockey Clube, o evento é todo terceiro sábado do mês, das 16 h às 21 h.