Mesmo antes do início do verão, as altas temperaturas registradas em dão sinais que 2023 será um dos mais quentes dos últimos anos. Além de gerar um desconforto aos seres humanos, as condições climáticas extremas impactam os pets que podem sofrer com o calor excessivo.

Por terem mecanismos de regulação de temperatura diferentes dos nossos, os animais são mais sensíveis ao calor do que os humanos, o que torna essencial que tutores tomem cuidados específicos durante esse período de calor intenso.

Conforme a Subea (Subsecretaria do Bem-Estar Animal), a temperatura normal dos animais é um pouco mais elevada que a dos humanos, 38 para gatos e 39 graus para cães. Por possuírem menos glândulas sudoríparas, a capacidade de perda de calor é reduzida, dificultando a regulação da temperatura corpórea.

Cães e gatos trocam calor com o ambiente por meio da boca e focinho, ao respirarem rápida e superficialmente (ofegar), eles liberam vapor de água. Ao contrário do que muitos pensam, não é preciso estar muito calor ou submeter os animais a corridas sob o sol escaldante para desencadear problemas.

Veterinário da Subea, Edvaldo Sales, ressalta que o superaquecimento pode ocorrer durante uma simples brincadeira ou um passeio normal na rua.

“Qualquer animal pode ter um episódio de hipertermia, mas o tutor deve ter atenção redobrada com animais idosos e braquicefálicos (cães de focinho curto, como Pugs e Buldogues)”.

Além da temperatura corporal acima dos 40 graus, Sales destaca que outros sintomas podem ser percebidos como aumento da frequência cardíaca, respiração ofegante, desidratação, vômitos, diarreias, salivação abundante e agitação. Em casos mais graves os animais podem apresentar confusão mental, convulsão e até parada respiratória.

Segundo o veterinário, em casos como esses, o melhor a se fazer é procurar um atendimento médico. Porém, caso o tutor não consiga, ele deve colocar o animal em um lugar arejado, com sombra, para que ele comece a se acalmar e posteriormente dar um banho refrescante nele.

“Jamais jogue água imediatamente no animal. Ele pode sofrer um choque térmico e acabar agravando a situação”.

Prevenção

Com as altas temperaturas, medidas simples podem evitar episódios de superaquecimento do animal.

  • Deixar água limpa e fresca pela casa;
  • Não deixar a casinha do animal exposta ao sol e calor;
  • Evitar passeios entre às 10h até as 16h;
  • Mantê-los em ambiente limpo e ventilado.

Consultas

Na Subea, são disponibiliza consultas veterinárias gratuitas às segundas, terças, quintas e sextas-feiras. São distribuídas 15 senhas pela manhã, a partir das 7h30 e 15 senhas pela tarde, a partir das 13h. O tutor deve vir até a unidade de atendimento levando o animal e documento com foto, além de comprovante de residência.

Saiba Mais