O Dia Nacional do Doador de Sangue, comemorado neste sábado (25), representa a importância do voluntariado que doa gotas de vida. Nos últimos dois anos, Mato Grosso do Sul registrou queda de 1,7% nas coletas, conforme o balanço do Hemosul.

Antes mesmo da pandemia, o total de coleta em cada hemocentro do Estado sofria redução. Em 2017, o número de bolsas coletadas era de 60.304 e caiu para 53.893 no ano passado, o que corresponde a queda de 10,67%.

No ano passado, a média de coleta mensal pontua 4.491 bolsas, com maior número de doadores no Hemosul Coordenador (2.655), Dourados (820), Três Lagoas (296), Santa Casa de Campo Grande (170), Ponta Porã (142) e Corumbá (114).

O monitoramento mostra que a taxa de inaptidão dos doadores, aqueles que não podem doar, é baixa no Estado, com porcentagem de 14,9 em 2022. Comparando ao ano anterior, há uma redução considerável, já que em 2021 essa taxa era de 19,4%.

AnoColetasMédia de coleta mensal Taxa de Inaptidão
201760.3045.025
201858.1054.84219,5%
201958.5254.87721,3%
202052.5224.377
202154.8404.57019,4%
202253.8934.49114,9%
Fonte: Hemosul

Perfil de doadores

A distribuição de perfil dos candidatos mostra que pessoas acima de 29 anos são as que doam mais, cerca de 60,3% aptas para entrega. Em seguida, está o público de 18 a 29 anos (23,8%) e menor de 18 anos (0,9%). Entre os inaptos, também estão pessoas acima de 29 (8,8%), de 18 a 29 (5,9%) e menor de 18 anos (0,3%).

Quanto ao gênero, os homens lideram o ranking de maior voluntariado apto, sendo 49,7% contra 35,3% de mulheres e 15% outros. Do total, 8,1% das mulheres não podem doar e 6,9% dos homens estão inaptos.

O Hemosul tem um painel de monitoramento do estoque de sangue em tempo real. As bolsas de sangue com maior necessidade de doações é da tipagem O- e O+.

Doar sem dor

Para Ramiro da Silva Amorim, a de sangue é demostração de doar vida a quem nem mesmo conhece. O campo-grandense é voluntariado há quatro anos, quando foi incentivado por um amigo a realizar uma doação. Desde então, segue “à risca” os cuidados e calendário de um doador.

“Foi vindo de uma corrida que um amigo me convidou para ir doar. Não parei mais. Tento sempre ficar atento a carteirinha e fazer as doações quando posso. A grande maioria das doações não é direcionada para nenhuma pessoa. Quando comecei a doar já era corredor, já praticava atividade física regular e tinha mais um pouco de atenção com a alimentação saudável. A doação é um processo simples e rápido. Uma doação nos dá um sentimento muito bom, que fizemos algo simples, mas que ajuda muito a quem precisa”, descreve.

hemosul
Ramiro e a esposa em dia de doação (Arquivo pessoal)

O que precisa para doar?

Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos, segundo a nova lei da doação de sangue aprovada em 2013. Há uma ressalva para quem tem entre 16 e 17 anos: no Hemosul, o menor de tem que estar acompanhado de pai ou mãe, ou responsável legal. Caso o menor de idade seja emancipado pode doar sozinho apresentando o documento de emancipação. Se for casado, a certidão de casamento já é suficiente para a liberação. Também é importante lembrar que a primeira doação somente pode ser feita até 60 anos. Acima desta idade, apenas para quem já é doador de sangue.

Embora a nova lei permita a doação de pessoas abaixo de 50 kg, a Rede se reserva do direito de aceitar apenas doadores com 51 kg ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador.

Há necessidade de intervalo entre as doações. No caso dos homens, podem doar até quatro vezes ao ano com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com um intervalo mínimo de três meses.

Quem não pode

A orientação é que pacientes com algumas doenças e condições não podem doar.

  • Doenças que impedem a doação: doenças hematológicas, cardíacas, renais, pulmonares, hepáticas, autoimunes, diabete, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramentos anormais, convulsões, ou portadores de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue como Doença de Chagas, Hepatite, AIDS, Sífilis. Se estiver com ou alergia, deve esperar sete dias após sarar para doar sangue.
  • Medicamentos: alguns medicamentos impedem a doação. Portanto, fale para o profissional de saúde que for lhe entrevistar os remédios que está utilizando.
  • Vacinas: As vacinas impedem temporariamente a sua doação. Por isso, aproveite para doar sangue antes de tomar a dose de vacina.
  • Alimentação: Não esqueça! Você deve estar bem alimentado para doar sangue. Como muitos pensam, não se pode doar sangue em jejum. É diferente de quando vamos fazer exames laboratoriais de sangue, para os quais o jejum é recomendado. Mas você pode evitar alimentos com excesso de gordura quando for doar sangue. É recomendado que se alimente bem, porém, de forma saudável.

Saiba Mais