Os profissionais de enfermagem da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) reclamam de confusão nas informações contidas nos holerites após pagamento dos salários, realizado na segunda-feira (5). A categoria alega dificuldade em entender valores que vão desde plantões até adicional noturno.

Segundo Angelo Macedo, presidente do Sinte-PMCG (Sindicato dos Trabalhadores Públicos em Enfermagem de ), ele vai se juntar com o contador do sindicato para entender o que foi lançado nos holerites, inclusive sobre o adicional noturno, que teve aumento de 20% após decisão judicial.

“O município tinha que incrementar o adicional noturno aos profissionais de enfermagem, mas não se sabe se o incremento foi feito”, informa. Então, o sindicato acompanha a situação para fazer a checagem dos dados. Além disso, Angelo informa que a reclamação é generalizada entre os 1.800 enfermeiros e técnicos de enfermagem atendidos pelo sindicato.

“Existem diversas denúncias. Desde ontem que saiu o holerite estou recebendo denúncias de que faltaram valores de plantões não pagos, profissionais que não conseguem entender o que está sendo pago no holerite e que, quando comparado ao quantitativo do mês anterior, uma vez que escalas normalmente são iguais, há muita reclamação que veio a menos do que foi pago no mês passado”, relata.

Porém, Angelo reforça que os dados serão ainda checados e deve dar uma devolutiva à categoria ainda na tarde desta terça-feira (6).

Orientações

Angelo ainda informa ao Jornal Midiamax que alguns colegas de profissão perceberam a falta de mil reais de diferença no pagamento. Assim, a orientação é que os profissionais, ao perceberem desigualdade salarial muito grande, devem fazer requerimento da folha de pagamento e solicitar explicações à prefeitura.

Sobre o adicional noturno, o sindicato alega que a prefeitura já pagava, mas de forma incorreta. Anteriormente, pagava-se 10% durante a semana e 20% para fins de semana, porém, o percentual foi ajustado para 20% tanto aos fins de semana, feriado e dias de semana. “Informações de todas as circunstâncias e o lançamento no holerite estão confusos”.

O Jornal Midiamax procurou a Sesau para dar um posicionamento sobre o caso e aguarda resposta. Espaço segue aberto para eventuais manifestações.