A situação da dengue em Mato Grosso do Sul piora a cada semana. Em boletim divulgado nesta quarta-feira (8), a (Secretaria Estadual de Saúde) confirma cinco mortes em decorrência de dengue e 4.531 casos confirmados.

Até a semana passada, eram duas mortes confirmadas pela doença. Agora integram a estatística, um homem de 21 anos de , uma mulher de 58 anos de Campo Grande e um homem de 74 anos de .

Nos três novos casos, os pacientes morreram menos de 15 dias depois dos primeiros sintomas de dengue aparecerem. Nenhum deles tinha comorbidades. Outras quatro mortes estão em investigação sobre a dengue.

Alta incidência no Estado

Em todo o , chega a 10.193 os números prováveis de casos de dengue. Enquanto os casos confirmados até o boletim epidemiológico atual somam 4.531 em todo o Estado.

Com isso, Mato Grosso do Sul está com alta incidência de dengue. É a primeira vez no ano que o Estado chega a este patamar. Dos 79 municípios, 34 estão com alta incidência para a doença.

e Bodoquena seguem sendo as cidades em situação mais crítica para a dengue. Enquanto Corumbá e Jaraguari agora também figuram o topo da das cidades com alta incidência de dengue. Campo Grande aparece com baixa incidência da doença.

Pessoas com idade entre 20 e 29 anos são as principais infectadas pela doença, seguidas por jovens entre 10 e 19 anos. Mulheres seguem sendo as mais infectadas.

Sintomas da dengue

A dengue é uma doença febril aguda, que pode apresentar um amplo espectro clínico: enquanto a maioria dos pacientes se recupera após evolução clínica leve e autolimitada, uma pequena parte progride para doença grave. Fatores de risco individuais determinam a gravidade da doença e incluem idade, comorbidades (doenças preexistentes) e infecções secundárias.

Saiba Mais