registrou dois casos confirmados para zika vírus em novembro, elevando o número para 16 desde o começo do ano. Os três últimos casos positivos desde outubro em são da Capital. 

De acordo com o boletim epidemiológico mensal da SES (Secretaria Estadual de Mato Grosso do Sul), o Estado contabiliza 89 casos confirmados de janeiro a novembro. 

(Fonte: SES-MS)

Já o número de casos prováveis cresceu de 134 em outubro para 139 em novembro. Os casos prováveis são a soma dos casos em investigação, confirmados e ignorados. Neste caso, não são considerados os casos descartados.

Alta incidência no interior

Mesmo com o maior número de casos confirmados na Capital, o interior lidera a incidência da doença. 

Santa Rita do Pardo, a 242 km de Campo Grande, está em primeiro lugar no ranking com dez casos confirmados entre a população de 7.027 habitantes, o que representa uma incidência de 142,3 a cada 100 mil habitantes. 

Brasilândia, a 406 km de Campo Grande, vem em segundo lugar com 12 casos confirmados entre 11.579 habitantes, uma incidência de 103,6 casos a cada 100 mil habitantes.

Já a Capital, com 89.7938 moradores, está na 33ª colocação entre os 79 municípios, o que representa uma incidência de 2 casos a cada 100 mil habitantes.