Cerca de 200 funcionários do frigorífico Beta Carnes, na Chácara das Mansões, em Campo Grande, paralisaram as atividades nesta segunda-feira (10) por atraso salarial e direitos trabalhistas, como o depósito do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). A empresa estaria em uma “bola de neve” com os pagamentos.

Um funcionário exemplifica relatando que o adiantamento é pago no dia do 5º dia útil, enquanto o salário na data que deveria cair o vale, assim, os trabalhadores estariam recebendo uma porcentagem do pagamento por escalas, causando atraso salarial. Segundo o trabalhador, a situação se sustenta há seis meses, após uma nova administração ocupar o cargo.

“Todo mês atrasa, vai empurrando com a barriga, conversa daqui e dali. Dessa vez, o salário de alguns caiu pela metade e de outros nem caiu. O FGTS atrasa desde abril”, disse.

recado
Recado na entrada (Nathália Alcântara, Midiamax)

Diante da reivindicação, funcionários de todos os setores foram à frente da empresa cobrar um posicionamento. Um deles disse que foram orientados a aguardar retorno em casa. “A gente precisa que ou eles nos segurem, ou soltem de vez, não podemos ficar aguardando. Temos um vínculo ativo na carteira de trabalho, se for para procurar outro emprego, a empresa precisa decidir”, pontua.

O atraso estaria prejudicando a vida financeira da classe, como pagamento de aluguel, alimentação da casa. A carga horária também teve alteração após a nova gerência. “Antes era de segunda a sexta-feira, foi pedido para vir sábado. Falaram que isso iria durar dois meses, mas já são seis meses”.

A reportagem tentou contato com os Recursos Humanos, que informou reunião com representantes. O espaço segue aberto para um posicionamento.