Faltam quase 200 dias para as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a principal porta de entrada em universidades públicas e privadas do Brasil. Estudantes de Mato Grosso do Sul já focam nos estudos e afirmam que o tempo de estudo colabora para um bom desempenho.

Professor de cursinho e especialista quando se trata do Enem, Fernando “Barney” alerta que a prova reúne um compilado de conteúdo dos anos do ensino médio, portanto, o aluno já deve estar com preparação teórica, principalmente se já está no último ano de conclusão. Entretanto, quem precisa ‘refrescar a memória’ ainda tem um bom tempo para preparação;

“Não tem como acertar um período ideal para começar. O jovem tem que pensar que a preparação começa desde a primeira série do ensino médio. Fora o Enem, as provas de vestibulares, como o Passe da UFMS, o conteúdo tem que estar em dia. O ideal é que tenha consciência de que quanto mais cedo começar a estudar, melhor. Às vezes é difícil do aluno ter essa maturidade, de imaginar que a vida dele está sendo traçada só naquele momento. Isso também serve para os pais, de dar apoio ao filho”, disse.

Surpresa da redação

Na visão de Barney, o tema da redação sempre é uma surpresa, mas que não deve fugir ao despreparo, pois acredita que o estudante deve agilizar em média de 70 a 90 redações no período de estudo, abranger diversos assuntos de interesse. A dica é que assuntos interessantes não se restringem apenas em datas próximas da prova, mas durante todo o ano.

“Cada um tem sua personalidade, o horário de estudo que faço é individual, não coletivo, porque cada um tem sua rotina, alguns pontos que se leva em consideração. Também não é ideal ficar estudando 24h por dia, desesperado, a pandemia nos deixou resquícios de crise de ansiedade. Tem que estudar, mas liberar a endorfina, ficar mais feliz, dormir bem, ter horário de lazer”.

Também não há uma dica infalível para se dar bem na prova, os estudos são meios de estar ligado, a orientação é o foco no objetivo. Sem perder as essências da vida social como válvula de escape para o bem-estar.

Estudos em dia

João Francisco Medina Araujo, conhecido como Sisko pelos alunos, diz que o estudo deve ser contínuo, com maior intensificação no segundo semestre, período mais próximo da aplicação do exame. Deixar a aprendizagem para última hora seria uma armadilha, a abertura para concorrência.

“A partir do momento que passou as festas de ano, descanso, começou o ano de estudo, tem que estar direcionando para que ele almeje, se o objetivo for o Enem, tem que estar estudando, seja a teoria, todas as matérias, exercícios direcionados, para chegar no final do ano com conforto de saber a forma com que é cobrado. Sempre digo aos meus alunos que precisamos sonhar e ter metas, a partir disso, se organizar e ter persistência”.

Estudante John Bruno (Foto: Assessoria de Imprensa)

John Bruno da Silva, de 17 anos, está na 3ª série do ensino médio e disputa uma nota boa nas provas este ano, mirando o curso de direito da UFMS. Para ele, os estudos não podem se restringir em casa, contando, principalmente, na sala de aula.

“Presto atenção na aula, sentando na frente, anotando tudo no caderno, tirando as dúvidas com professor, fazendo uma revisão das aulas no mesmo dia, resolvendo exercícios da apostila com auxílio de videoaulas da internet, faço aulas paralelas de química, física, matemática, redação e português fora da escola. A escola faz um plano de estudo, onde executo em casa com horário de estudo”, pontua.

Aos concorrentes de John ele deixa até uma dica: verificar os conteúdos e provas anteriores no edital do site do Enem, assim fazer as provas anteriores e focar nesses conteúdos.

Dicas para o ano de preparação:

  • Revisar edições antigas do Enem;
  • Ter rotina de descanso e estudo em equilíbrio;
  • Sempre peça ajuda de um professor, se necessário, peça para revisar uma redação de teste;
  • Tenha tempo de lazer;
  • Organize um cronograma pessoal de preparo;
  • Planeje estudo em matérias com mais dificuldade;
  • Faça simulados.

Isenção da taxa

Começa na próxima segunda-feira (17) e segue até 28 de abril a solicitação da isenção na taxa de inscrição do Enem, pela página do Governo Federal. Os interessados devem se encaixar nos critérios, preencher o formulário com os dados pessoais e aguardar aprovação.

Podem solicitar a isenção o participante que está cursando a última série do ensino médio em 2023, de qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar.

Também tem direito ao benefício o inscrito que cursou todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, que tenha renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio.

A isenção pode ser solicitada, ainda, pelo participante que declara situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda, com inscrição no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal). Nesse caso, o interessado deverá informar o seu NIS (Número de Identificação Social) único e válido.

A aprovação do pedido de isenção ou da justificativa de ausência na edição de 2022 não garante a inscrição no exame. Os interessados em realizar o Enem, isentos ou não, deverão realizar sua inscrição na Página do Participante, no período de 5 a 16 de junho.