Volta às aulas: o que as escolas fazem caso um estudante teste positivo para covid em MS?

Os protocolos de biossegurança já usados desde 2021 continuam, mas o que acontece se um aluno contaminado vai à escola e tem contato com outros estudantes?
| 22/01/2022
- 12:18
O protocolo adotado é o mesmo já usado no último ano letivo.
O protocolo adotado é o mesmo já usado no último ano letivo. - Arquivo Midiamax

Em março, aproximadamente 250 mil alunos da REE (Rede Estadual de Ensino) devem voltar a frequentar as aulas de maneira 100% presencial. Os protocolos de biossegurança já usados desde 2021 continuam, mas, após um novo surto de covid se instalar no Estado, fica uma dúvida: o que acontece se um aluno contaminado vai à escola e tem contato com outros estudantes?

O questionou as autoridades sobre o procedimento. Segundo a SED (Secretaria de Estado de Educação), o protocolo adotado é o mesmo já usado no último ano letivo, que terminou com 205 mil estudantes matriculados. A pasta pontuou que, se um aluno testar positivo, os estudantes da sala recebem um acompanhamento e, dependendo do número de casos confirmados, as aulas podem ficar suspensas.

A SED também destaca que, quando existe a confirmação de algum aluno contaminado, os pais são avisados e recebem um encaminhamento para realizar o teste em alguma da unidade de saúde. Além disso, se um estudante ou profissional da escola confirmar o quadro da covid-19, além do afastamento da instituição pelo período estabelecido, deverão comunicar o diagnóstico à direção da escola, a fim de que as pessoas que com eles mantiveram contato possam tomar as providências necessárias.

Outras medidas de biossegurança já adotadas e conhecidas — como o uso obrigatório de máscara, higienização das mãos e manter o distanciamento social — continuam sendo aplicadas neste começo de ano letivo. Veja o protocolo completo clicando AQUI.

Alerta geral

Na rede particular, o protocolo utilizado para além da biossegurança básica é mais nebuloso. Isso porque, conforme a presidente do Sinepe-MS (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul), Maria da Glória Paim Barcellos, cada escola tem seu próprio plano de biossegurança.

Ao Jornal Midiamax, ela detalhou que as escolas são orientadas, caso algum aluno apresente sintomas, que imediatamente seja isolado dos demais. Na sequência, os pais da criança são avisados e orientados a procurarem um local para o aluno realizar o teste. Se confirmado, o estudante fica afastado para cumprir a quarentena em casa.

“Cada escola tem o próprio plano de biossegurança, mas o sindicato orienta que usem máscaras, mantenha o distanciamento social e a também continuem com a devida higienização. Pedimos que prossigam com os devidos cuidados”, disse.

A reportagem acionou a (Secretaria Municipal de Educação), mas até a publicação, não obteve retorno.

Veja também

O Cijus (Centro Integrado de Justiça) disponibilizou um espaço de atendimento para instalação do "Procon...

Últimas notícias