O Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) emitiu um alerta sobre o “golpe do cheiro”, normalmente praticado durante corrida em carros de aplicativos de caronas pagas. O órgão afirma que o crime já ocorre em diversos Estados.

Segundo o órgão, pesquisas indicam, o perfume inalado pelas pessoas é “batizado”, ou seja, contêm substâncias psicoativas como é o caso de éter, clorofórmio ou etanol, ou mesmo as três substâncias juntas.

O superintendente do Procon-MS, Rodrigo Vaz, afirma ser necessário que “se alerte a população para se precaver e denunciar, caso seja vítima. Até o momento não se tem conhecimento de algum caso aqui no Estado. Mas, caso alguém seja prejudicado, não deixe de denunciar”.

Home office

Outra questão que tem tomado grande parte dos meios sociais se trata da oferta de emprego em “home office” em meio expediente, com salários interessantes.

As pessoas tentam recrutar interessados, solicitam uma quantidade de informações pessoais, mas na realidade se trata de golpe visando apenas conseguir os dados para os utilizar indevidamente.

Também em relação a isso, o órgão integrante da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho) orienta o consumidor a se manter atento e não liberar informações pessoais sem ter certeza de que se trata de empresa idônea e, assim, não passar por dissabores.