Depois de uma noite inteira sem manifestações nas rodovias de Mato Grosso do Sul, balanço atualizado da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) aponta que, na manhã desta quinta-feira (3), grupo voltou a ocupar trecho da MS-162, entre Sidrolândia e Maracaju. O trânsito, no entanto, segue livre e não há registros de bloqueios em rodovias federais ou estaduais de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a Secretaria, agentes da PMR (Polícia Militar Rodoviária) já estiveram no local e notificaram os manifestantes sobre ordem da Justiça que proíbe o bloqueio da rodovia. Até o momento, não foram registradas ocorrências de violência.

Ontem, após o presidente Jair Bolsonaro (PL) publicar vídeo pedindo o fim dos bloqueios realizados em rodovias e ruas por Brasil, horas depois, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a Sejusp informaram que todas as rodovias estaduais e federais do Estado estavam liberadas.

Desde domingo, os manifestantes protestam contra o resultado das eleições de domingo (30), que elegeram Luiz Inácio Lula da Silva presidente do País.

Bolsonaro pediu liberação de rodovias bloqueadas

Na tarde de ontem, o presidente Jair Bolsonaro (PL) publicou um vídeo pedindo o fim dos bloqueios realizados por manifestantes em rodovias e ruas pelo Brasil.

Na publicação, Bolsonaro afirma que a atitude prejudica o “direito de ir e vir das pessoas”.

“Os protestos são muito bem-vindos, fazem parte do jogo democrático. Ao longo dos anos, muito disso foi feito pelo Brasil. Agora, tem algo que não é legal, o fechamento de rodovias pelo Brasil prejudica o direito de ir e vir das pessoas”, disse o presidente.

Por fim, Bolsonaro também afirmou que os bloqueios realizados por manifestantes prejudicam a economia do país.

“Temos que respeitar o direito de outras pessoas que estão se movimentando. Além de prejudicar a nossa economia”.

Governo disse que PM vai liberar rodovias

O Governo de Mato Grosso do Sul anunciou na tarde de terça-feira (1º) que adotará as medidas necessárias para cumprir a decisão do ministro Alexandre de Moraes do STF (Supremo Tribunal Federal) para desobstruir os bloqueios nas rodovias do Estado e também em frente ao CMO (Comando Militar do Oeste), onde há grupos em Campo Grande.

Ainda conforme a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), na primeira fase da operação, a Polícia Militar atuará para o cumprimento da decisão nas vias estaduais, e depois, poderá apoiar a Polícia Rodoviária Federal nas rodovias federais.

“A ação obedecerá todos os protocolos operacionais exigidos, sobretudo o esgotamento da negociação para a saída voluntária dos manifestantes”, diz a nota. A secretaria ainda disponibilizará, se necessário, apoio do Corpo de Bombeiros à PRF para auxiliar nas ações onde for preciso sua atuação.