Após carreata realizada em Dourados e marcha realizada na Avenida Guaicurus, no feriado da Proclamação da República, os manifestantes seguem com protestos em frente ao quartel da 4ª Cavalaria Mecanizada.

Eles também mantêm a ocupação do espaço cedido pelo CTG (Centro de Tradições Gaúchas) como base de apoio à ‘vigília permanente’ que teve início no dia 2 de novembro. “Seguiremos firmes com nossas manifestações pacíficas”, explica um dos organizadores dos protestos.

Segundo ele, a presença de milhares de pessoas nas manifestações desta terça-feira (15), tanto na carreata pela região central da cidade na parte da manhã como na marcha durante o período da tarde, serve como incentivo.

Desde o último sábado (11), o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) acompanha as manifestações em frente ao quartel de Dourados. Um pedido do promotor João Linhares determina o cumprimento das medidas adotadas pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre Moraes.

Nos documentos enviados ao comandante da PM (Polícia Militar) de Dourados, coronel Everson Antônio Rozeni, e também ao comandante da PRM (Polícia Rodoviária Militar), Marcos Vinícius Poleti, o promotor João Linhares pede que sejam aplicadas multas aos proprietários de veículos estacionados na avenida Guaicurus.

Segundo o promotor, as medidas passam a contar deste sábado (12), para total desobstrução das vias próximas da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, onde estão ocorrendo manifestações consideradas pelo STF como inconstitucionais e ilegais.

No ofício, o promotor ressalta que os manifestantes “estariam bloqueando as vias públicas e causando aglomeração de centenas de veículos e de pessoas, as quais estão cometendo, em tese, delitos de trânsitos e infrações administrativas, sobretudo estacionando veículos em locais proibidos e causando muitos transtornos na localidade”.

Linhares também determina aos comandantes que “sejam autuados os proprietários dos automóveis infratores e até mesmo guinchados os veículos que estão em desrespeito com o Código de Trânsito”.