Los Angeles: cidade estadunidense perto do famoso letreiro de Hollywood e calçada da fama dos artistas de cinema. Longe da capital mundial do entretenimento e sem ao menos calçadas nas ruas, o Los Angeles de Campo Grande não tem nada de glamour e está distante de ser um ‘sonho americano’.

Ruas sem asfalto onde prevalece o poeirão – ou lama, depende da previsão do tempo – sem rede de esgoto, apenas fossas que precisam ser limpas a cada três meses pelos moradores, com falta de segurança, transporte público que leva mais de 25 minutos para passar no ponto, terrenos feitos de ‘lixão’ e no limite do bairro até vacas pastam.

Vacas pastam em terreno do Los Angeles | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

O bairro Los Angeles fica na região do Anhanduizinho, tem mais de 8,8 mil moradores conforme o censo demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2010.

Com duas creches, o bairro não dispõe de escola municipal, apenas uma do Estado, a E.E. Marçal de Souza, na ‘divisa’ com o Centro-Oeste. Há uma unidade de saúde e um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), mas nenhum Batalhão da Polícia Militar ou da Guarda Municipal, conforme os indicadores do Sisgran (Sistema Municipal de Indicadores de Campo Grande).

Doze anos após o levantamento do IBGE, o bairro recebeu dezenas de investimentos e novas moradias, mas a aceleração do crescimento populacional não tem ao seu lado o progresso da infraestrutura e qualidade de vida dos moradores.

‘Somos invisíveis’

Walter Ferreira, tem 72 anos, é aposentado e tem 33 anos vivendo no Los Angeles. Ele relembra que antes das dezenas de ‘casinhas da Caixa’ em frente à sua residência, era só um terreno tomado por mato e ele pontua que as melhorias no bairro não acompanharam o crescimento e aumento de moradores.

“Não dá para lembrar quando foi a última melhoria que o bairro recebeu. Nós precisamos principalmente de asfalto e rede de esgoto. Como não tem rede de esgoto aqui, as fossas das casas aqui na rua enchem e vaza para a rua. É um cheiro horrível e hoje até que está agradável, parece que adivinharam que vocês viriam aqui”, comenta o morador com a reportagem, que esteve na terça-feira (8) no Los Angeles.

Com mais de três décadas no bairro, Walter lamenta ter os impostos em dia e não ver o desenvolvimento chegar no Los Angeles. “As faturas dos impostos estão em dia, todo ano pago. Mas cadê as melhorias? Para cobrar imposto eles nos enxergam, mas para melhorias, somos invisíveis”, afirma.

Walter diz que a rua frequentemente tem mau-cheiro devido a vazamento de esgoto | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Insegurança

Maria Aparecida Soares esperava ônibus em ponto para fazer baldeação no Terminal Guaicurus. Com compromisso previsto no período da tarde, ela disse que muitas vezes leva mais de hora para chegar no destino final.

“Moro no bairro há muitos anos e a infraestrutura não acompanha o desenvolvimento do crescimento de casas. É um bairro afastado e quem precisa de ônibus leva até 1h20 para chegar no centro da cidade, por exemplo. É demorado e a gente fica aqui, correndo o risco de ser assaltada”, disse.

Maria disse não haver muita segurança no bairro e que, inclusive, já foi assaltada no ponto de ônibus e teve arma apontada para a cabeça. “Estava eu e uma outra mulher no ponto, era umas 5h40 da manhã e dois homens em uma moto chegaram e falaram que era assalto. Levaram a bolsa da mulher e a minha. Perguntaram ‘ah porque você deixou que levassem?’, mas quem tem reação com uma arma apontada para a cabeça? Vai saber se era falsa ou não, melhor não arriscar”, disse.

Enquanto a reportagem estava no local, Maria disse que já aguardava ônibus há mais de 20 minutos e, após mais uns minutos de conversa, o ônibus chegou.

Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Promessa de asfalto

Vai ano, vem ano, mas a promessa de asfalto nunca se concretiza aos moradores. É o que diz Aroldo Pereira, morador do Los Angeles. Ele afirma que a infraestrutura deixada para trás no bairro é um “verdadeiro descaso”.

Como bairros aos arredores têm asfalto, as águas das chuvas escoam para as ruas do Los Angeles e deixam as vias verdadeiros rios. “Asfalto aqui é promessa de campanha política. Todo ano. Tivemos que nós pagarmos para fazer um meio fio na frente de casa para a água da chuva não entrar na nossa casa. Não tem asfalto nem na rua do posto de saúde, nem da escola. Uma vergonha”, afirma.

O que diz o poder público sobre o Los Angeles

A reportagem procurou a Prefeitura Municipal para questionar se há previsão de algum projeto para melhorias no bairro. Segundo o município, o poder público está empenhado em viabilizar obras no bairro.

“O Los Angeles tem uma malha viária de 50  km, com lençol freático que exigirá alto investimento em drenagem. Em parceria com o governo do Estado será recapeada e duplicada a Avenida dos Cafezais, principal acesso ao bairro. Além disso, para melhorar a assistência na região está prevista a reforma geral na Unidade Básica de Saúde do Los Angeles”.

Ao Midiamax, a Polícia Militar informou que o 10º Batalhão de Polícia Militar, com reforço das Unidades Especializadas do CPE, a exemplo do Batalhão de Polícia Militar de Choque, do BOPE, do Batalhão de Polícia Militar Ambiental, entre outros, são os responsáveis pelo policiamento no bairro.

“Rondas preventivas e abordagens policiais ocorrem diariamente em todos os bairros da capital, inclusive no local informado. Todo policiamento é realizado com base na análise de dados estatísticos, extraídos dos Boletins de Ocorrências e também dos atendimentos à comunidade local”, informou a PM.

A Guarda Municipal também foi questionada sobre a falta de segurança e informou que atua em “contribuição às forças de segurança, com rondas preventivas de viaturas de duas e quatro rodas, operações e ações de trânsito e a base da região fica no bairro Paulo Coelho”.

*Matéria atualizada às 10h15 para acréscimo de posicionamento da prefeitura.