Levantamento mostra que 166 crianças já foram internadas por síndrome respiratória no HRMS

Número de pacientes que testaram positivo para covid caiu de 37% para 6,5%
| 20/01/2022
- 14:32
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Foto: Arquivo/Midiamax)

O HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) já atendeu 166 crianças de 0 a 11 anos internadas por Srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave), sendo que 62 testaram positivo para covid e sete acabaram falecendo. O número é um recorte do início da pandemia até esta quinta-feira (20) e reforça a importância da imunização das crianças.

Os dados são referentes a todo período da pandemia, ou seja, os últimos 21 meses. A assessora técnica da presidência do HRMS, Dra. Marielle Alves Correa Esgalha, informa que os números pós-vacinação diminuíram as internações por covid em crianças.

“Durante a pandemia, cerca de 37% das crianças internadas no HRMS positivaram para a doença. Agora, no início do ano, somente 6,5% das crianças com quadros respiratórios tiveram diagnóstico confirmado. Esses dados revelam que a imunização do público adulto refletiu na queda dos casos em crianças, que ficam mais protegidas em casa quando a família se imuniza deixa o ambiente menos propenso a infecção”, destaca Marielle.

O médico pediatra, Alberto Cubel Brull, relembra que diversas hipóteses foram formuladas e ainda não existem comprovações cientificas do porque essa faixa etária possui menos sintomas, o que não as exime do perigo da doença.

Após 21 meses de pandemia, e longe de um final, a vacinação infantil ainda é tema de discussões e apesar das evidências cientificas, alguns pais relutam a vacinação dos filhos. Para Cubel a imunização desse público não só protege a própria criança, como combate a transmissibilidade da doença.

“Vale lembrar que as crianças têm papel de vetor na transmissão da doença, pois mesmo com poucos sintomas ou assintomáticas, elas levam a doença para casa e transmite aos familiares sem saber. Daí a importância da vacinação, elas são fonte de transmissão e ficam doentes; pois criança pega covid, sim. Nós tivemos inúmeros casos de crianças e adolescentes hospitalizados no HRMS, inclusive com óbitos, e isso é muito preocupante”.

Veja também

Produtos ficaram mais caros por conta da pandemia e guerra na Ucrânia.

Últimas notícias