Dos 12 óbitos que completaram as 10 mil mortes em MS, 11 não se vacinaram

A informação foi passada pelo governador durante evento na manhã desta quarta-feira
| 09/02/2022
- 13:43
Dos 12 óbitos que completaram as 10 mil mortes em MS, 11 não se vacinaram
(Foto: Reprodução)

chegou nesta terça-feira (8) a marca de 10.003 óbitos por Covid-19. O número foi alcançado após o registro de mais 12 mortes entre segunda (7) e terça (8). De acordo com informação repassada pelo próprio governador do Estado, Reinado Azambuja (PSDB), durante lançamento de pacote de obras no Detran-MS, 11 das 12 pessoas que morreram neste intervalo não haviam se vacinado, o que representa 96% do total. 

"E isso acontece em meio a estatísticas que colocam Mato Grosso do Sul em um dos estados com maior índice de vacinação", disse Reinaldo. 

10 mil mortes

Nesta manhã, o titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende, ressaltou ao Midiamax que o Estado chegou a triste marca de 10 mil mortos pelo novo coronavírus. No dia anterior, o dado era de 9.991 óbitos e agora saltou para 10.003.

O boletim também aponta mais 2.583 novas confirmações de covid, além de quatro novos casos da influenza. 

Deste número, a maioria é de Campo Grande, com 987 registros em um só dia. Os demais casos são em Dourados, com 207, Corumbá, com 115, Coxim, com 104, Sidrolândia, com 82, além de Aparecida do Taboado, com 79 novos casos e outros municípios.

Variante Ômicron

O Estado está com 100% dos casos de covid como sendo da variante Ômicron, de acordo com o secretário. O dado foi confirmado por infectologistas, que estiveram no Estado neste fim de semana e também nessa segunda-feira (7).

“Estes infectologistas renomados estiveram aqui conosco e analisaram 94 amostras, colhidas em Mato Grosso do Sul, nos meses de dezembro e janeiro. Eles inclusive levaram o restante para análise em e vão fazer um trabalho semelhante em Goiás também”, afirmou Resende. 

Conforme o secretário, amostras anteriores foram enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, porém, houve atraso na entrega do resultado. “Tem amostras enviadas em julho e que ainda não tivemos resposta. É por isso que foi muito importante a presença destes profissionais aqui e agora podemos discutir um panorama, com 100% dos casos de covid como sendo da Ômicron”, ressaltou.

Até a última sexta-feira (4), a SES aguardava o posicionamento sobre a análise de amostras, porém, também não recebeu os resultados. 

Veja também

Três crianças foram atropeladas por motorista na Avenida das Bandeiras

Últimas notícias