Cotidiano

Com ‘fluxo considerável’ no 1º dia do ano, postos de saúde têm médicos suficientes, diz prefeito

Procura maior é de pessoas com disfunção gástrica e resfriado

Mayara Bueno Publicado em 01/01/2022, às 13h49 - Atualizado às 13h57

Prefeito conversa com pacientes aguardando atendimento neste sábado (1º).
Prefeito conversa com pacientes aguardando atendimento neste sábado (1º). - (Foto: Divulgação, PMCG).

Upas (Unidades de Pronto Atendimento) e CRS (Centro Regional de Saúde) recebem fluxo considerável neste sábado (1º), feriado do Ano Novo, segundo o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, que vistoria as estruturas da cidade.

Apesar da procura, os locais têm equipes suficientes para o atendimento, afirma. Nas Upas do Leblon e Vila Almeida são oito médicos, cada uma, no Coronel Antonino, 10, dos quais, quatro são pediatras. No CRS do Tiradentes, seis médicos.

Nas rondas, foi repassado ao chefe do Executivo municipal que as maiores demandas hoje são disfunção gástrica e resfriados - sem confirmação, por enquanto, se tratam-se todos de gripe ou da cepa H3N2.

Até a manhã de sexta-feira (31), Campo Grande tinha 42 casos da doença, mas em um novo boletim, divulgado na tarde de ontem, mostra que o número saltou para 74.

Jornal Midiamax