Campo Grande tem 4 mil casos de dengue neste ano e só um bairro sem notificação

Apenas o bairro São Bento 'escapou' das mais de 4 mil notificações de dengue em Campo Grande este ano
| 11/05/2022
- 11:04
Campo Grande tem 4 mil casos de dengue neste ano e só um bairro sem notificação
Agente comunitário de Campo Grande fazendo trabalho preventivo nos bairros (Foto: Divulgação/Sesau)

Mesmo que um dos bairros de Campo Grande, o São Bento, não tenha registrado notificação de casos de dengue nas 17 semanas de monitoramento da (Secretaria Municipal de Saúde), a Capital está com número acumulado de casos altíssimo.

De 1º de janeiro até 10 maio, são 4.210 , sendo 1.208 casos confirmados, com quatro casos graves e 3 mortes. Se o olhar levar em conta as notificações mês a mês, nota-se, claramente, uma evolução. Em janeiro foram 570 notificações, em fevereiro, 526, em março mais que dobrou, foi para 1.369, já em abril foi para 1697. Em maio, até o dia 10, são 48 notificações.

Mapa da dengue em Campo Grande

mapa dengue - Campo Grande tem 4 mil casos de dengue neste ano e só um bairro sem notificação
Mapa da dengue (Foto: Sesau)

Conforme o mapa da dengue da Sesau, oito bairros estão com índice de infestação 'muito alto'. São eles: Chácara dos Poderes, Nova Lima, Noroeste, Novos Estados, Maria Aparecida Pedrossian, Rita Vieira, Jardim Panamá e Tiradentes. Analisando o mapa, percebe-se que a maioria desses bairros está na região nordeste da cidade.

Outros oito bairros estão com índice de infestação considerado baixo. São eles: Aero Rancho, Autonomista, Parque do Lageado, Chácara Cachoeira, Jardim Paulista, Tarumã, Vila Carvalho e Batistão.

Apenas um bairro está com índice de infestação zero, o São Bento, na região central de Campo Grande.

Confira a lista completa dos bairros aqui.

Qual a razão dessa divisão?

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, existem vários fatores para um bairro ter mais infestação que outro. Entre os principais estão que são áreas com maior número de terrenos baldios, locais de mata, além da população com baixa capacidade colaborativa, considerando que 80% dos focos ainda são encontrados dentro das casas.

O mapa, então, serve para nortear o trabalho das equipes da Sesau a intensificar as ações em bairros com mais incidência.

Veja também

Últimas notícias