A estátua do poeta Manoel de Barros, na avenida Afonso Pena, em , completa, neste mês, um ano e meio sem um dos pés. Nesse período, outros pontos do monumento indicavam sinais de vandalismo, como na região do rosto e óculos.

Desde abril de 2021, quando houve a depredação, o Jornal Midiamax acompanha o andamento do restauro da estátua. Em outubro do ano passado, o artista que criou a imagem, Ique Woitschach, afirmou que já tinha feito tudo o que era de sua responsabilidade para a reforma e que aguardava uma resposta do governo estadual para dar início ao trabalho. 

“Sem o ‘Ok' do Estado e a assinatura de contrato, não posso fazer nada. Somente aguardar”, disse o artista na época ao jornal Midiamax.

Na época, em contato com a FCMS (Fundação de de ), responsável pela estátua, o órgão afirmou que as negociações estavam em andamento. “A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul está em processo interno tramitando para contratação do artista responsável pela restauração”, disse em nota.

Um ano depois, a resposta da Fundação de Cultura sobre o restauro da estátua de Manoel de Barros aponta que ainda não há data sobre o início das obras e nem estimativas sobre quanto custará. A contratação de Ique Woitschoch, que fará toda restauração, deve ser publicada no final do ano.

Confira abaixo a nota da FCMS sobre o conserto do monumento de Manoel de Barros:

Informamos que as tratativas para o restauro da escultura de Manoel de Barros do artista Ique Woitschoch, está sendo finalizada entre a Fundação de Cultura de MS e o próprio artista autor da obra, como também o artista fará o restauro da obra por completo. O investimento está em fase de orçamento e será publicado em na sua contratação, e deverá ser concluída até Dezembro/2022.

Sobre a estátua

A estátua foi inaugurada em dezembro de 2017, na celebração dos 101 anos do poeta. Localizada no canteiro central da Avenida Afonso Pena, no cruzamento com a Rua Rui Barbosa, a estátua é uma reprodução em tamanho real do poeta, assinada pelo artista campo-grandense Ique Woitschach.