Cotidiano

Infecção por dengue pode ocorrer até quatro vezes por pessoa, alerta infectologista

Tradicionalmente, o mês de janeiro registra chuvas rápidas e altas temperaturas em Mato Grosso do Sul, combinação que aumenta as chances de focos com água parada que servem de proliferação nos criadouros do mosquito Aedes aegypti. De acordo com especialista, uma pessoa que já foi infectada com dengue pode apresentar sorotipo até quatro vezes na […]

Karina Campos Publicado em 12/01/2021, às 13h25 - Atualizado às 14h36

Agente fiscaliza foco de transmissão da doença. (Foto: A.Frota)
Agente fiscaliza foco de transmissão da doença. (Foto: A.Frota) - Agente fiscaliza foco de transmissão da doença. (Foto: A.Frota)

Tradicionalmente, o mês de janeiro registra chuvas rápidas e altas temperaturas em Mato Grosso do Sul, combinação que aumenta as chances de focos com água parada que servem de proliferação nos criadouros do mosquito Aedes aegypti. De acordo com especialista, uma pessoa que já foi infectada com dengue pode apresentar sorotipo até quatro vezes na vida.

O que poucas pessoas sabem é que o vírus da dengue possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Segundo o médico infectologista, José Ivan Albuquerque Aguiar, todos circulam no Brasil.

“A recidiva, ou seja, o reaparecimento da doença por um outro tipo pode ser mais agressivo. Além disso, vale destacar que quando se contrai um tipo do vírus, a pessoa fica imune apenas para esse tipo, podendo contrair os outros três ao longo da vida”, disse.

O mosquito também é transmissor da zika vírus e chikungunya, a SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgou, nesta segunda-feira (12), um alerta para amenizar abrigadouros, como estar atenta a limpeza dos jardins, evitar acúmulo de água em pneus, garrafas e vasos de planta.

O boletim epidemiológico da doença, o ano passado registrou 72.751 casos de dengue, enquanto em 2019 foram 85.643. Embora a redução, o Estado fechou o ano ocupando o segundo lugar no ranking nacional com maior incidência.

Durante pandemia e isolamento social, Mato Grosso do Sul registrou 15% a menos de casos de dengue em 2020, comparado ao ano anterior.

Jornal Midiamax