Cotidiano

Três Lagoas registra mais óbitos do que nascimentos na pandemia, aponta de secretaria

Com aumento de casos de Covid-19, município soma 230 mortes pela doença

Karina Campos Publicado em 14/04/2021, às 08h06

None
(Foto: Divulgação/PMTL)

A Prefeitura de Três Lagoas, a 326 quilômetros de Campo Grande, divulgou um balanço, nesta terça-feira (13), comparativo aos dados de morte e de nascimento, desde o início da pandemia da Covid-19. Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde apontam que morreram mais moradores do que nasceram recém-nascidos nos últimos meses.

De acordo com o levantamento do Sinasc (Sistema de Informações do Sistema de Nascidos Vivos), em março de 2021 nasceram 168 crianças vivas e, em comparação com os dados disponibilizados pelo SIM (Sistema de Informação de Mortalidades), morreram, no mesmo período, 169 pessoas de diversas causas, não somente por coronavírus.

Em abril a situação se repete, até segunda-feira (12), 58 moradores perderam a vida pela doença, e no mesmo período, foram registrados 56 nascimentos de recém-nascidos. “Devido às altas taxas de morte, é possível supor que os casos de óbitos por Covid-19 colaboraram para que o número de nascidos fosse menor do que de mortes no mês de março”, disse o médico da Família e Comunidade e da equipe de Vigilância Epidemiológica da SMS, Vinícius de Jesus Rodrigues.

Paulo Henrique Trannin Bernardo trabalha desde 2007 como técnico administrativo codificador do SINAN e SINASC na SMS e diz que essa é a primeira vez que vê algo do tipo ocorrer. “Estou à frente do sistema de nascido vivo há muitos anos e, é a primeira vez que vejo a quantidade de óbitos no município superar o número de nascidos vivos”, relata.

A cidade já soma 49.833 notificações de Covid-19, sendo 11.832 positivos, 8.884 recuperados e 2.718 em isolamento ou internadas. Das mortes, 77 foram somente em março, de acordo com a secretaria de saúde, foi o pior período desde o início da pandemia.

Jornal Midiamax