Cotidiano

Taxa de ocupação de UTI para pacientes covid melhora e cai para 98% em MS

Queda nas internações dão 'alívio' ao sistema de saúde no Estado

Gabriel Maymone Publicado em 22/04/2021, às 08h32

MS tem 'fôlego' nas ocupações de pacientes graves com covid em UTIs
MS tem 'fôlego' nas ocupações de pacientes graves com covid em UTIs - Divulgação

A taxa de ocupação de leitos UTI (Unidades de Terapia Intensiva) exclusivos para pacientes com covid caiu para 98% na manhã desta quinta-feira (22) em Mato Grosso do Sul. O índice chegou a 106%, o maior do país, há um mês. O Jornal Midiamax acompanha os índices diariamente pelo painel Mais Saúde, da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Para dar alívio no sistema de saúde, o governo do Estado já anunciou que deverá abrir nos próximos dias mais 30 leitos UTI para pacientes com covid. Assim, o total de vagas passará dos atruais 585 para 615. Então, o titular da SES, Geraldo Resende, já avisou que esse número é o limite de ampliação de leitos.

Em Campo Grande, a taxa de ocupação caiu nesta semana de 107% para 101% nesta quinta-feira. Logo, são 5 pacientes além da capacidade de 345 nos hospitais que atendem casos graves de covid.

No HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) - referência do SUS para tratamento de covid em MS, todos os leitos críticos estão ocupados. Além disso, outros 12 pacientes estão em pontos extras instalados na área vermelha do hospital.

Em Dourados, a ocupação de leitos para pacientes em estado grave com covid caiu de 94,67% na terça-feira para 92% nesta quinta. Isso significa que restam apenas 6 vagas em UTI.

Após semanas com superlotação, a rede hospitalar de Três Lagoas chegou a ficar com ocupação em 95%, subiu na sexta para 100% e caiu nesta quinta para 95%. Corumbá, que estava até terça-feira da semana passada sem UTIs para covid disponíveis, teve queda nas internações, chegando a registrar ocupação de 70%, mas subiu para 100% novamente nesta quinta. Naviraí está sem vagas e Sidrolândia tem ocupação de 60%.

Jornal Midiamax