Cotidiano

Pós-covid também requer cuidados; saiba onde procurar ajuda em Campo Grande

Muitos pacientes curados da doença relatam sequelas, que podem ser tratadas

Gabriel Maymone Publicado em 04/05/2021, às 15h00

Pacientes passam por acompanhamento multidisciplinar em serviços de atendimento pós-covid
Pacientes passam por acompanhamento multidisciplinar em serviços de atendimento pós-covid - Divulgação

Pacientes que tiveram sintomas moderados e graves da covid, e venceram a doença, podem procurar por atendimento gratuito em Campo Grande pelo SUS. São dois serviços disponíveis para esses casos: o CER/APAE (Centro de Reabilitação em parceria com a APAE) e a UERD (Unidade Especializada em Reabilitação e Diagnóstico).

A maioria das complicações envolvem problemas respiratórios ou motores, como fraqueza e falta de ar. O acompanhamento é feito por uma equipe multidisciplinar composta por profissionais da área de fisioterapia, educação física, psicologia e nutrição. A indicação é para pacientes que apresentam cansaço ou falta de ar para conseguir fazer atividades que eram realizadas rotineiramente antes da Covid-19 e fadiga, fraqueza muscular ou respiratória, principalmente quando afetar o desempenho das atividades de vida diária ou laborais.

Conforme o município, ambos os serviços atenderam, juntos, 734 pacientes em Campo Grande. O mais antigo deles é o da APAE, que foi inaugurado em setembro do ano passado e já acompanhou 300 pacientes que tiveram complicações provocadas pela covid. Foram realizados mais de 10 mil procedimentos no período, entre consultas com especialistas, fisioterapia, entre outros.

Já a UERD é gerida exclusivamente pelo município e já atendeu 434 pessoas desde janeiro deste ano, quando foi inaugurada. Para ter acesso à reabilitação, o paciente precisa de um encaminhamento feito pela unidade básica de saúde, acompanhado de atestado de liberação para realização de atividade física. O paciente passará por uma avaliação global com a equipe multidisciplinar e, a partir de então, será traçado o programa de tratamento do mesmo, podendo ser de frequência de duas a três vezes por semana.

O atendimento é feito somente por agendamento na Uerd (Unidade Especializada em Reabilitação e Diagnóstico), localizada na Rua Mal. Hermes, 842, Vila Almeida.

Em nota, a prefeitura informa que "ambos os serviços são regulados pelo município, ou seja, os pacientes entram em uma 'fila' e são encaminhados para o atendimento mais adequado".

Quando é preciso procurar ajuda?

O pneumologista Ronaldo Perches Queiroz já atendeu mais de mil pacientes no tratamento da síndrome pós-covid em Mato Grosso do Sul e explica que têm sido comuns casos de pacientes que apresentam queixas mesmo depois de serem curados do coronavírus. “Os trabalhos internacionais indicam que de 40 a 60% dos pacientes que tiveram a covid resolvida, nos quadros leves e moderados, apresentam sintomas. Esses sintomas configuram a síndrome pós-covid”, explica.

A orientação para pacientes que se recuperaram do coronavírus é procurar o médico para fazer um check-up.

O pneumologista afirma que a inflamação pulmonar causada pelo coronavírus pode durar até 90 dias. Porém, há chances de que o paciente tenha sequelas pelo resto da vida. Isso acontece porque a inflamação pulmonar pode evoluir para fibrose. “Pacientes que tiveram comprometimento pulmonar podem evoluir com fibrose, tendo lesão irreversível, com queda da sua capacidade respiratória até o fim da vida. Existem vários tratamentos multidisciplinares e medicamentos que vão ajudar o paciente que venceu a covid também vença essas complicações pulmonares”, conclui Ronaldo Perches.

Jornal Midiamax